Anunciar no Google para iniciantes: Tutorial Completo

O conteúdo de hoje foi feito especialmente para quem está começando do zero. Muita gente quer aprender técnicas avançadas, mas esquece do essencial. A base para você conseguir gerar resultado anunciando no Google, na internet.

Não importa se você já anuncia na internet, se anuncia no Google. Tudo o que você puder participar e estudar sobre esse universo de tráfego e marketing digital é importante. Independente do seu nível, você vai aprender alguma coisa por aqui e, apenas, esse pequeno aprendizado pode mudar completamente o jogo para você. Nessa aula, você vai aprender porque anunciar no Google é um dos conhecimentos mais importantes que você precisa ter.

Antes de qualquer coisa, preciso dizer que todos os meus conteúdos tratam de Google focado em venda, atração de cliente, resultado. Ou seja, meu foco é em performance.

A primeira coisa que eu vou focar nesse conteúdo é em 4 perguntas.

1. Por que Eu Devo Anunciar no Google? 

Porque é a ferramenta número 1 de vendas do mundo. Tem mais alcance, segmentação e você paga por resultado. 

Quanto ao alcance: Mais de 90% das pesquisas hoje são feitas no Google. Mais de 90% de sites e blogs do Brasil são parceiros Google, ou seja, você consegue colocar seu banner em toda parte da internet através da rede de display. A segunda maior rede social do mundo é do Google. O maior gerenciador de e-mail do mundo. Sem contar a dominância entre os aplicativos. O Google está em tudo quanto é lugar.

Se você não está anunciando no Google, está perdendo tudo isso. Mesmo que você anuncie no Facebook, não vai ser o suficiente. O Google tem muito mais tráfego que a rede social. É certo anunciar só no Google? Não! Anuncia nos dois. Está tudo bem. Errado é você desperdiçar essa incrível fonte de tráfego. Dominar o Google tem que ser prioridade. Porque ele tem o maior alcance.

Como o Google ganha dinheiro? Já parou para pensar nisso? Ele ganha dinheiro se seus anunciantes tiverem resultado. É só isso. Ou seja, o Google é obrigado a gerar resultado para você, porque se não tiver resultado, você não vai anunciar. Quando você anuncia no Google, não existe um fechamento de contrato. É possível anunciar R$10 reais e não querer mais continuar. Isso quer dizer que o Google está o tempo inteiro brigando para gerar resultado para você. Então, você não deve desanimar.

Anunciou uma vez e não deu resultado? Você acredita que o Google não funciona para você? Não é que não funciona, provavelmente, você investiu errado. Você não participou das minhas lives, não leu os meus conteúdos. Você está perdido e aí não é que o Google não funciona, você é que não está trabalhando como deveria.

O Google não faz milagre, você precisa fazer a sua parte. E aqui eu vou falar sobre isso. Como você vai criar uma campanha que gerará vendas. Se você desistir de anunciar no Google, quem perde é você.

Quanto a segmentação: Você consegue anunciar para quem vai comprar do seu negócio. Pensa comigo… se você for até uma rádio e pedir para anunciar só para o seu público, é possível? Não. No Google, você pode fazer isso. A ferramenta permite que você filtre por sexo, idade, interesse, renda familiar, dispositivo, tópico, entre outros. Existem dezenas de segmentações, tudo isso para que você possa anunciar para quem vai comprar de você. A consequência é simples: Você gasta menos e fatura mais. Nem se compara com qualquer outra mídia.

A última razão pela qual eu disse que você deveria anunciar no Google é porque você paga por resultado. Como funciona? Você tem a opção de pagar só por clique ou só pagar por cada ação, que pode ser venda ou lead. 

Imagine você indo até uma empresa que vende espaço publicitário em outdoor. A sua ideia é dizer ao responsável que deseja anunciar, no entanto só se puder pagar por cada pessoa que ver o anúncio e em seguida entrar na sua loja no shopping. Você acha que a sua proposta será aceita? Não vai, porque primeiro não tem como traquear e segundo porque não vale a pena. Provavelmente, você vai pagar uma grana muito alta por cada pessoa que entrar na sua empresa. Por que estou falando tudo isso? Porque o Google é completamente o contrário.

Para você aparecer no Google é de graça. Você só vai pagar quando um potencial interessado entrar no seu site. Ou seja, só por resultado. Por exemplo, eu tenho um anúncio ativo por aqui, que ele está com 5 mil impressões, ou seja, apareceu 5 mil vezes na internet e eu não paguei nada por isso. Eu tive o resultado, paguei para vender e ainda construo o meu branding. 

O fracassado é aquele que nunca anunciou por medo, não anuncia e jamais vai anunciar. Não seja essa pessoa. Vamos vencer esse medo, pois isso vai ser responsável por crescer os seus projetos, as vendas e explodir seus resultados.

2. Por que Devo Aprender a Anunciar no Google? 

De novo, porque é a ferramenta número 1 de vendas na internet. Em 2016, eu paguei 40 mil reais para fazer consultoria-mentoria com o Flávio Augusto. E o mais importante que eu ouvi foi: Não terceirize o marketing e vendas da sua empresa. Isso mudou completamente a minha visão. Talvez você não dê o mesmo valor que eu dei, mas estou lhe passando essa dica de graça.

Quando falo sobre aprender a anunciar no Google, não me refiro a aprender mexer em uma ferramenta. A ideia aqui é aprender a ganhar dinheiro, crescer seu negócio, vendas. Esse é o conhecimento mais valioso que existe. Eu troco facilmente todo o conhecimento que adquiri na faculdade, minha formação, por esse conhecimento que tenho hoje.

3. Quando Sei Se Posso Terceirar Esse Serviço?

Se você tem um baixo investimento hoje, um baixo faturamento, eu diria que você não deve terceirizar nunca. Agora, se você tem uma grande empresa e não tem, obviamente, como fazer todo esse serviço, então pode terceirizar. Mas, isso não significa que você não tenha que saber mexer no Google. Afinal, você só deve terceirizar, se souber cobrar.

Ninguém valoriza mais o seu dinheiro do que você mesmo. E é por isso que você deve entender do que está pedindo para um outro profissional gerenciar. Caso contrário você poderá ser facilmente enganado, sem nem perceber.

4. Não Tenho o Que Vender, Devo Aprender?

Não importa o que você vende, o que realmente importa é saber vender. Se você não vende nada hoje, fique tranquilo. Venha aprender! Que esse é o conhecimento mais importante que você vai conquistar para o resto da sua vida.

Mas, Tiago, eu vou aprender a vender sem ter o que vender? A minha dica para você é: Por que não oferecer esse seu novo conhecimento como serviço? Esse pode ser o seu novo “produto”. E além disso você terá a oportunidade de aprender a mexer no Google com o dinheiro dos outros. Para quem não sabe, foi assim que eu aprendi. Em 2011, eu cuidava de 80-100 contas Google simultaneamente, o tempo inteiro. Isso me fez acelerar o aprendizado e gerar mais resultado com o produto dos outros.

O Que Devo Fazer Antes de Anunciar no Google? – O Passo-à-Passo do Zero

A primeira coisa que você precisa saber para anunciar no Google é quem é o seu público alvo. De forma detalhada. Antes de criar qualquer campanha, qualquer anúncio, de anunciar na internet, você tem que saber quem é o seu público alvo.

E aí quando a gente fala de público-alvo, estamos nos referindo a idade, sexo, interesses, o que ele curte, entre outras características. Isso é muito importante.

E tem mais, ter um público-alvo traçado não é saber o perfil dele “de cabeça”, isso não vale no marketing. O certo é que você faça pesquisas com os seus clientes para extrair informações com base real e segura.

Tem algo que eu ensino sempre que se chama círculo concêntrico. A estratégia nada mais é do que começar anunciando bem focado, em um círculo mais fechado. Com o passar do tempo, com as campanhas rodando, os resultados vão começar a surgir, crescer, até que vai chegar no teto. O Google não vai conseguir gastar mais para esse público. Aí, o que você vai fazer? Começa a ampliar o alcance. Vai para um círculo mais aberto, podendo abranger a idade, o sexo, ou outra característica com potencial. E dessa forma você vai escalando suas campanhas.

Qual o maior erro que os anunciantes cometem no início? Eles anunciam para o geral e não focado. O resultado é que eles gastam dinheiro com todo mundo, principalmente, com quem não vai comprar deles. Isso é coisa de amador. Você precisa focar no seu público, essa é uma regra do básico.

O segundo passo é você saber como se comunicar com o seu público-alvo. Inclusive, indico fortemente que você veja o conteúdo sobre escrita persuasiva para se aprofundar mais nesse assunto. Se você não souber se comunicar com o seu público, vai acabar utilizando palavras que ele não entende, que não chamam a atenção, vai criar anúncios pouco atrativos e os resultados serão péssimos.

O terceiro passo é saber quem são os seus concorrentes e como superá-los. As pessoas costumam anunciar um produto no Google sem, sequer, fazer uma pesquisa para entender se alguém está vendendo esse mesmo produto, qual é a oferta, as promessas, como são os outros anúncios, como se comunica, como é o site. Ou seja, não sabe nada sobre a concorrência, sobre quem já está vendendo a mais tempo. 

O básico para anunciar é pesquisar sobre quem são os seus concorrentes no mercado. Vai lá, entra no site, olha o preço praticado, as vantagens que ele está oferecendo e tudo mais. Com base nessas informações, você vai criar uma oferta que possa superar a do seu concorrente. Seja a melhor opção.

O que vende é a sua oferta. O Google vai levar pessoas para o seu site, para conhecer a sua oferta. Então, pelo menos, pesquise 3 concorrentes seus, antes de criar qualquer anúncio. Tente superá-los.

O quarto passo é a Landing Page, que é uma página focada em uma única ação e também em um único produto serviço. Muita gente que vai começar a anunciar manda o tráfego todo para a home do site. Ou para uma URL que não tem nada a ver com o que está sendo anunciado. E óbvio, não vai vender.

Ao anunciar no Google, você tem que estar alinhado com os 3 pilares: anúncio, segmentação e site (Landing page). Qual a função do anúncio? Receber o clique. Então, você tem que chamar a atenção para receber o clique. Qual a função da segmentação? Receber cliques qualificados. Ou seja, de quem vai comprar de você. E qual a função do seu site, da sua Landing Page? Converter, gerar a ação, vender. Você precisa gastar muita energia na construção da sua Landing page, não adianta pedir para o seu sobrinho fazer ou para aquele construtor de site gratuito. Leve essa etapa a sério, pois é muito importante.

Está mandando muitas pessoas para o seu site e não está conseguindo vender? Provavelmente, um desses pilares está errado. Não? Se está tudo alinhado com esses três pilares, o seu problema pode ser a oferta.

Antes de seguir, um último e importantíssimo passo: Instalar a TAG do Google para criar públicos de remarketing e fazer acompanhamento de conversão. Jamais anuncie no Google sem essa TAG instalada.

Depois que você concluiu esses cinco passos de pré-criação, nós vamos ver como criar uma conta no Google. E em seguida, eu já vou lhe mostrar, através de um passo-à-passo prático, como criar a nossa primeira campanha na rede de pesquisa do Google.

É importante ressaltar que se você não tiver alinhado tudo que eu falei aqui, na parte teórica, não adianta avançar para a parte prática, pois não vai funcionar. 

Como Criar Sua Primeira Campanha Na Rede de Pesquisa do Google?

A primeira coisa que você precisa fazer é pesquisar no Google o termo “Google Ads”. Clique no primeiro resultado da página de pesquisa, provavelmente, será ads.google.com/GoogleAds. Depois de entrar no site, você vai clicar no botão, localizado na home, “comece agora”. Fazendo isso, você vai começar a colocar seus dados, algo muito intuitivo e simples, apenas informe os dados e siga em frente. É como criar uma conta no Gmail. Crie uma campanha fictícia, coloque qualquer anúncio, só para que o Google lhe encaminhe para a próxima fase.

Na próxima etapa, o Google lhe levará para o painel de gerenciamento da sua conta. A primeira vez que a gente olha para ele é realmente assustador. Tem muitos botões, informações, mas não se desespere. É tudo simples, vamos começar a estudar e entender. Eu vou explicar os pontos mais importantes, lhe dando uma visão geral da plataforma e aí iremos criar nossa primeira campanha.

Neste conteúdo, você vai aprender a criar uma campanha melhor que a de muitas agências por aí. Eu me comprometo com isso!

Visão Geral

Durante esse passo-à-passo, eu vou utilizar alguns termos específicos com você. Entre os mais frequentes, teremos: campanhas, grupo de anúncios e anúncios. As campanhas, vamos dizer, que é a parte mais geral, é o todo. Por exemplo, vamos criar uma campanha de vídeos. Os grupos de anúncios é o que começa a segmentar a campanha, ele vem abaixo. Então, por exemplo, nós podemos criar diversos grupos de anúncios para que cada um deles seja específico para um público. E para que esse público veja só o anúncio que ele precisa ver.

Então, um segredo do Google nesse sentido é: Quanto mais específico você for, melhor. 

Pronto, agora nós vamos desbravar um pouco a ferramenta em si. Entrando no painel do Google Ads, do lado esquerdo, nós temos todas campanhas. Esse espaço é só um filtro, nós podemos ver as seguintes opções: Campanhas da Rede de Pesquisa, Campanhas da Rede de Display, Campanhas de Vídeo. Abaixo, você poderá ver as suas campanhas que estão ativas no momento. Se você quiser ver só um tipo de campanha específica que estão ativas, basta você clicar nas opções acima, pesquisa, rede de display ou vídeos.

Quando você entra em uma campanha, ou seja, clica em uma de suas campanhas listadas, tudo que aparece no segundo menu, também a esquerda, é referente a essa campanha selecionada. Como falamos, dentro dessa campanha, tem os grupos de anúncios, um dos primeiros botões desse segundo menu. Se você clicar em um grupo de anúncios específico, vão aparecer informações apenas desse grupo de anúncio.

Dentro de um grupo a gente tem os anúncios, as páginas de destino e abaixo as opções de segmentação, Palavras-chave, públicos-alvo, informações demográficas, tópicos e canais. Ou seja, para quem você vai anunciar. Em seguida, você verá as opções de configurações gerais da sua campanha. Então, você pode escolher local, idioma, frequência que aparece seu anúncio. Em dispositivos, você pode definir se quer aparecer só para celular, por exemplo. Em Ajustes de Lance Avançado você escolhe se quer pagar por CPC (Custo por Clique), CPC Otimizado (Custo por clique focado em vendas) ou CPA (Custo por Aquisição). Se você vai anunciar no Google, essas são as melhores opções. 

Um ponto importante: Metas. Quem anuncia na internet, como um todo, tem que ter duas metas. A meta de CPA e a meta de volume. Por exemplo, se você for começar a anunciar agora, você deve se perguntar: Qual a minha meta de CPA e Volume? Meta de CPA é o custo por venda ou lead. E o volume é a quantidade diária, que pode ser lead ou venda. 

Então, vamos supor que o meu CPA é de R$50 reais. Ou seja, a cada R$50 reais que invisto no Google, eu preciso fazer uma venda. Basicamente isso. A minha meta de volume pode ser de 10 leads por dia. Nesse caso, o que eu estou basicamente fazendo é um cálculo simples para saber quando está valendo a pena para mim. Por exemplo, meu produto vale R$300 reais, eu tenho xx de custo, se eu pagar R$50 para o Google e ele vender meu produto de R$300, vale a pena para mim. Agora, só não estabeleça uma meta de CPA com o preço muito baixo. Se o seu produto é vendido a R$1000 reais, não adianta estabelecer um CPA de R$10 reais, esse é um ROI muito absurdo. Coloque algo alcançável. Estando isso estabelecido, você vai criar suas campanhas sabendo quais são as suas metas. 

Se você anuncia na internet e não tem metas, nem de volume e nem de CPA, você não sabe o que está fazendo no Google ou Facebook-Instagram.

Agora que vimos o geral, vamos olhar mais de perto para uma campanha da rede de pesquisa. Se a gente clicar em uma campanha, você poderá ver os grupos de anúncios. Os anúncios e as extensões. Páginas de destino, que é para onde está sendo enviado o tráfego. As palavras-chave que está sendo anunciadas no momento. Públicos-alvo. Informações demográficas, se a campanha está sendo focada em alguma idade específica ou excluiu alguma faixa etária, a mesma coisa quanto a sexo, renda familiar, dentre outros. Em seguida, você tem o botão “configurações” que se trata das configurações gerais da campanha.

Criando a Campanha na Prática

Estamos prontos para criar uma campanha a partir de agora. Você vai em “campanhas” e depois vai clicar no ícone “+” em azul. Depois em “Nova Campanha”. Em seguida, você verá um box com algumas opções, são as metas que você pode escolher ao criar a sua campanha. Temos: Vendas, leads, tráfego do site, consideração de produto e marca, alcance e reconhecimento da marca e promoção de APP, além de poder criar uma campanha sem meta.

A campanha de venda o próprio nome já revela do que se trata. Ou seja, gerar vendas. O que é lead? É uma pessoa que deixa contato dela para você, pois está interessado no que seu negócio oferece. Então, ao escolher a opção “Lead, você está focando em uma campanha para captar contatos de potenciais interessados no que você vende. Tráfego do site é aumentar o volume de visitas no seu site. Consideração de produto e marca/alcance e reconhecimento da marca são branding. Promoção de APP pode ser branding e também para incentivar o download. A opção de criação sem meta é para quem já sabe configurar suas campanhas ou tem uma estratégia específica. Nesse passo-à-passo a gente vai usar essa opção, sem meta. Para que eu tenha todas as funções do Google disponíveis e possa lhe mostrar. 

Então, selecione “Criar Uma Campanha Sem Meta”. Em seguida, a gente vai escolher o tipo da campanha. Se o seu objetivo for ação, ou seja, vendas ou leads, focada em conversão, os melhores tipos de campanhas são: Pesquisa, remarketing e shopping. Para quem tem e-commerce, o ideal é começar pelo shopping e depois expandir. A rede de pesquisa é o básico. É aquele anúncio que sai no resultado da busca. Esse tipo de campanha traz muitos resultados, porque a pessoa que faz essa busca é mais propensa a comprar do que um usuário que está no Facebook, Instagram e Youtube, por exemplo.

Existe a jornada do consumidor. Que é o “caminho” que uma pessoa faz até finalmente adquirir algo. Resumidamente, ela passa por consciência, interesse e momento da compra. Isso é importante para você, pois se está começando a anunciar, do zero, terá que focar em clientes que estejam no momento da compra. Aquela pessoa que está pesquisando, por exemplo, “comprar TV”. Outro bom exemplo é baseado no funil de vendas. Ele é constituído pelo topo, meio e fundo. As pessoas que estão no fundo são aquelas que já estão pesquisando pelo que você vende. O meio está “entendendo” as soluções, talvez já tenha te encontrado, mas precisa de mais informações para prosseguir. O topo é o usuário que tem a dor, mas ainda não conhece as soluções.

Seguindo na criação da nossa campanha, você vai escolher a opção “Rede de Pesquisa”. Em seguida, nós temos o tipo de resultado que você quer alcançar. Visitas no site, ligações telefônicas e downloads de aplicativos. Isso é bem básico. Se você quer receber telefonema, escolha a opção correspondente, pois assim será exibido um anúncio mais focado em telefone. Download em caso de aplicativos. O nosso será visitas ao site. Clicando nessa opção, você pode colocar o site da empresa já, embora seja possível inserir depois na hora de criar o anúncio. Clique em continuar.

Agora, nós vamos criar o nosso anúncio, em 4 passos. O primeiro é a configuração da campanha. O segundo é configurar grupos de anúncios. O terceiro criar anúncios. E o quarto é a confirmação. Simples assim.

Configuração da Campanha

Na primeira etapa, você vai nomear a sua campanha. Aqui, eu vou colocar como “Campanha Live do Tessmann”. Na primeira configuração, você vai escolher onde vai anunciar: Na rede de pesquisa ou na rede de display junto a rede de pesquisa. 

Regra número 1: Jamais, nunca, crie uma campanha Rede de Pesquisa e Display juntas. Esse é um erro mortal. Por que quando você cria uma campanha na rede de pesquisa, vai gerenciar só a rede de pesquisa. Se você cria uma campanha na rede de pesquisa junto a rede de display, pode ser que os cliques venham todos da rede de display e você não apareça na pesquisa do Google, que é o mais importante. Quer criar uma campanha na rede de display? Então crie uma focada apenas nela.

Então, o que vamos fazer? Tirar a seleção do segundo bloco, ou seja: “inclua seus anúncios na Rede de Display do Google”.

Depois de redes, você pode fazer a configuração simples sobre a data de início e término da campanha. Nós vamos deixar padrão, porque assim podemos pausar quando quisermos. A seção “Opções de URL da Campanha” e “Anúncios Dinâmicos da rede de pesquisa” são um pouco mais avançados e por isso não vamos entrar agora.

O próximo passo é a segmentação e públicos-alvo. Então, nós vamos falar sobre locais, idiomas e públicos-alvo. Em locais, você vai escolher para onde quer exibir o seu anúncio. Clique em “pesquisa avançada”. Digite na linha “Brasil” e em seguida clique em “incluir”. Você pode restringir locais também. Vamos supor que queremos anunciar para o Brasil todo, menos Santa Catarina. Basta você digitar “Santa Catarina” e em seguida clicar em “Excluir”. Qual a grande sacada disso? Quando você conhece o público-alvo, fica mais fácil focar só em quem compra de você.

Uma vez eu entrei na conta de um cliente que estava relatando que não conseguia vender, que o Google não funcionava. Ele vendia casaco de pele e estava anunciando para o Brasil inteiro, incluindo o nordeste. Não sei se você é do Nordeste, mas mesmo se não for, responda: Qual a probabilidade de um nordestino comprar um casaco de pele? Tem sim uma certa probabilidade, mas é muito baixa. Nesse caso, é melhor pegar o dinheiro investido nessa região e focar onde faz frio. A probabilidade é maior de vender.

Se você tem uma empresa local, como um petshop, um restaurante, por exemplo, você pode selecionar a opção “Raio” e digitar, na linha, o CEP da sua localização e assim vai aparecer só no seu bairro. É possível também definir a quilometragem do raio, por exemplo, 15 km em volta do seu bairro. Por exemplo, se o seu público tem maior poder aquisitivo e você é de São Paulo, é possível anunciar apenas para os bairros mais ricos da cidade. Como falamos anteriormente, quanto mais segmentado, melhor, porque você economiza e foca em quem vai comprar de você.

Para o nosso teste, eu vou colocar “Brasil”, mas você fica atento quanto a essa configuração de local, de acordo com a necessidade e características do seu negócio.

Agora, vamos para a sessão “idiomas”. Aqui, você pode considerar que o seu público tem o Google em espanhol, inglês, português e possivelmente outras línguas. Geralmente, eu coloco “português” e “inglês”. Porque muita gente no Brasil estuda inglês e então acaba usando o Google em inglês. Agora, se você está anunciando para fora do Brasil, vai colocar o idioma do país correspondente.

O último passo dessa etapa, é o públicos-alvo. Preste a atenção, pois é um pouco mais avançado. Quando você anuncia na rede de pesquisa, a segmentação é por palavra-chave. Só que a maioria faz só por palavra-chave, mas você pode incluir públicos-alvo. Vamos supor que o usuário digite “comprar TV”. Em seguida, depois de ver o seu anúncio, ele entrou no seu site. Então, ele saiu do seu site. Após alguns dias ele voltou a fazer a pesquisa. Nesse momento, ele está demonstrando interesse de novo e é aí que vem a oportunidade. Se você ativa os “públicos-alvo”, consegue encontrar todo mundo que entrou no seu site e saiu. E quando cada um deles pesquisarem novamente, é possível dar um lance maior para esse público, ou seja, para quem está pesquisando a palavra-chave e já visitou o seu site, fazendo com que você possa aparecer nas primeiras posições. É uma boa estratégia, porque esse público está muito propenso a comprar.

Voltando a configuração da campanha, você vai selecionar o público correspondente aí para você. Eu vou escolher por aqui “pessoas que baixaram o meu e-book”. Logo abaixo, têm duas segmentações. Uma é para restringir o alcance de sua campanha aos públicos-alvo selecionados, com a opção de ajuste de lance. A outra é observação, ou seja, não restringir o alcance da sua campanha com a opção de ajustar os lances nos públicos-alvo selecionados. Ou seja, você vai selecionar o segundo, o que é recomendado. Porque na primeira, ele só vai exibir o seu anúncio se a pessoa estiver pesquisando aquela palavra-chave que você adicionou e ainda fizer parte do seu público. Já o segundo, aparece o seu anúncio para a palavra-chave, para o público e para também quem está fora. A diferença é que você pode dar um lance maior para o usuário que está no seu público. Você pode usar outros públicos, como o “semelhantes”, no entanto o remarketing é o mais utilizado.

Agora nós vamos para a parte de “Orçamentos e Lances”. O Orçamento é quanto você vai gastar por dia. Eu vou colocar aqui R$50 reais, mas você precisa definir isso de acordo com os seus objetivos. Abaixo, em método de exibição, você terá duas opções. Padrão e acelerado. Você vai escolher “padrão”, que é aparecer o dia todo. No método acelerado, o Google vai gastar o seu orçamento o mais rápido possível, essa opção é recomendada para quem quer escalar.

Em seguida, temos os lances. O que são os lances? Como você vai pagar para o Google. Nós já falamos sobre eles anteriormente. CPC, CPC otimizado e CPA. Nesse caso, você vai escolher entre o CPC otimizado, se está começando do zero. Ou CPA. Então, na prática, em lances, você vai escolher, na lista, a opção “conversões” e depois selecionará o bloco “definir um custo por ação desejado”. Assim, você está definindo o CPA, ou seja, o valor máximo que você pode gastar por conversão. Se você escolher na lista a opção “Cliques”, basta clicar em “selecione diretamente uma estratégia de lances” e, assim, é possível também definir o valor máximo do clique. Para finalizar, você vai selecionar a caixa “ajude a aumentar o número de conversões com o CPC otimizado”.

O próximo passo é a “Programação de Anúncios”. Ou seja, você vai definir quando os seus anúncios podem ser exibidos. Por exemplo, eu tenho um restaurante e eu quero aparecer das 18h às 00h. Nesse caso, eu posso colocar “todos os dias” ou selecionar dias específicos, e aplicar o horário. Fique atento para aparecer nos horários certos, baseado no seu objetivo. Em seguida, temos “rotação de anúncios”. Selecione “otimizar priorizar os anúncios de melhor desempenho”. Dessa forma, nós criaremos 3 anúncios e o Google fará um teste A/B para identificarmos qual tem melhor desempenho. Isso servirá, depois de um tempo de exibição, para que a gente entenda o que funciona e o que não funciona, e consequentemente possamos otimizar cada vez mais as campanhas.

Feito isso, chegamos às extensões de anúncios. Você vai inserir muitas extensões, porque elas deixam seus anúncios muito melhores e você vai receber mais cliques. Em torno de 15% a mais. Nós não vamos desenvolver isso agora, mais adiante focaremos nesse ponto em específico de forma mais profunda. Clique em “salvar e continuar”.

Configurar Grupos de Anúncios

Agora nós vamos criar grupos de anúncios. Lembra que falamos sobre estrutura de campanha? Que é a campanha, abaixo dela os grupos de anúncio e abaixo dele os anúncios. No teste que estamos fazendo, eu vou usar o curso de teclado. Então, o nome do meu primeiro grupo de anúncio será “Curso de Piano”. O segundo será “Curso de Teclado”. Então, se o usuário pesquisar “piano”, ele vai ver anúncio que fala sobre piano, ou seja, do primeiro grupo de anúncios. Se ele pesquisar teclado, verá anúncios sobre teclado, do segundo grupo. Você pode perguntar: Mas não é a mesma coisa? Sim, é! Mas, a pessoa que está pesquisando, talvez, ao ver um anúncio de teclado em uma busca para piano, ache que aquela “solução” não é para ela. E aí você perde a venda. Você precisa saber se comunicar adequadamente com o seu público-alvo. Se ele fala piano, mostre um anúncio de piano.

Depois de nomear o grupo, no bloco abaixo, nós vamos colocar palavras as quais fazem sentido o seu anúncio aparecer. No meu, eu coloquei “curso de piano” e “curso de teclado”, em cada um dos grupos. Você pode colocar a palavra-chave que mais representa o seu negócio, o que ele oferece. Depois vou lhe mostrar como você pode encontrar as melhores palavras-chave. Clique em “Salvar e Continuar”.

Criação de Anúncios e Segmentações

Você será levado para a parte de criação do anúncio, mas não faça nada ainda. Apenas clique em “Salvar e continuar” e avance para a última fase, a de revisão e confirmação da campanha. Clique em “Continuar na Campanha”. Pronto, parabéns! Você conseguiu criar a sua primeira campanha do absoluto zero. Melhor que muito profissional que a gente vê por aí na internet.

Só que calma, a nossa campanha ainda não está finalizada. Você vai clicar em “Campanhas da Rede de Pesquisa”, vai localizar na lista a campanha que acabou de criar e irá clicar nela. Você visualizará os dois grupos de anúncios que criamos. Clique em um deles, no meu caso, eu escolhi “curso de piano”. Dessa forma, na lateral, aparecerá toda a nossa segmentação. Que é palavra-chave e públicos-alvo.

Agora, o que está faltando para a nossa campanha ficar excelente? Para que uma campanha de pesquisa fique extraordinária, nós precisamos de: 1. Palavras muito boas, focando no momento da compra. 2. O mínimo de 3 anúncios por grupo de anúncios. 3. Muitas extensões. 4. Público-alvo (opcional).

O primeiro passo então nessa etapa é focar em segmentação. As palavras-chave são o coração das campanhas na rede de pesquisa. E é por isso que você precisa saber escolhê-las muito bem. Nós vamos fazer isso na prática. Para começar, você deve ir até o planejador de palavras-chave, dentro da sua conta Google. Clique em “ferramentas” e em seguida em “Planejador de Palavras-chave”. Esse recurso é onde você vai ter ideias de palavras-chave para adicionar em sua campanha, tornando-a extraordinária. Uma vez dentro da ferramenta, você vai escolher a opção “Encontrar novas palavras-chave”. Você terá que informar algumas palavras bases para que o Google lhe retorne com uma lista. No meu, por exemplo, eu coloquei: curso de piano, aulas de piano, aprender piano e etc. Depois, clique em “Começar”.

O Google, através dessa ferramenta gratuita, lhe mostrará uma lista de ideias de palavras baseadas naquelas que você informou, por ordem de relevância. Ou seja, ele lhe oferece noções de como as pessoas pesquisam na internet sobre esse “assunto”. Na segunda coluna, o Google lhe mostra a média de pesquisas mensais por cada termo. Em seguida, a concorrência, podendo ser baixa, média ou alta. Quando a concorrência é alta, geralmente, significa que a palavra é boa, porque converte. Se muitos anunciantes disputam por ela, significa que ela traz retorno.

Não posso utilizar palavras de concorrência média ou baixa? Pode sim, a baixa e a média você vai pagar mais barato, mas é necessário ter cuidado, afinal, pode ser indício de que a palavra não funciona. Tudo depende do seu nicho também. No meu caso, com o curso de piano, a concorrência não é tão alta, por isso utilizo palavras de média e tenho bom retorno. Faça testes!

As últimas colunas da ferramenta trazem a informação de quanto, mais ou menos, você vai pagar por lance. Mas, atenção, não é um dado tão confiável, é só um norte.

Um ponto importante que você precisa olhar também é o volume de pesquisas, que fica no gráfico no topo da tela. É exibido o total e só para smartphone. Mas, para que isso serve? Bem, se o seu site não é preparado para o mobile e esse gráfico está muito alto no smartphone, você está perdendo dinheiro. Atualmente, a gente fala muito sobre o mobile first. Ou seja, construir o seu site primeiro focando na experiência no smartphone, depois você adapta para o desktop e não ao contrário, como muita gente faz.

No meu resultado, a quantidade de pesquisas feitas pelo smartphone é enorme. Mas, além dessa questão, é possível ver também que em alguns meses o volume de pesquisas é maior que outros. O que significa isso? Que é possível ter noção, de acordo com o seu produto ou serviço, quando ele tem pico de vendas e quando não tem. Ou seja, quando vale mais a pena anunciar, aumentar o investimento e quando é melhor segurar. Quando você tem mais pesquisas, significa que mais pessoas estão interessadas e automaticamente a probabilidade de gerar conversão é maior.

Nesse mesmo gráfico, você pode ver o volume de pesquisa, dividir por plataforma (smartphone, computador, tablete[2] ) e também dividir por locais (estado, cidade).

Agora que você entendeu o conceito, vamos para a prática. Como é que eu construo a minha lista de palavras-chave? Um grupo de anúncio, que é onde você vai colocar as palavras-chave, vai ter, em média, 20-30 palavras. Isso significa que você está específico. E quanto mais específico você for, mais resultado você vai gerar. Isso é muito importante. Sabendo disso, você vai olhar o que o Google lhe mostrou, ou seja, a lista de ideias de palavras-chave, selecionando de acordo com todos os conceitos que vimos até aqui. Eu, por exemplo, escolhi os seguintes termos para o grupo de anúncio aprenda piano: curso de piano, tocar piano, aprender a tocar piano, piano para iniciantes, aula de piano preço, entre outras. Também é importante multiplicar o termo. Ou seja, acrescentando variações, como cursos de piano. Encontrei a palavra “piano para tocar”, embora seja do universo, não é um termo bom para mim. Porque o usuário está procurando por um piano e não por aprender a tocar.

Encontrou as 20-30 palavras? Então agora a gente vai encher de palavras-chave negativas. Esse é o segredo. Você vai olhar novamente para a lista e irá clicar em “média de pesquisas mensais”, assim o Google não vai basear por relevância. Dessa forma, você vai encontrar palavras que não tem relação com a sua oferta e vai negativá-las. Por exemplo, para mim, saiu aqui: violão. Fazendo a estratégia da multiplicação, já acrescentei: violões, pensei automaticamente em guitarra, bateria, entre outras. Geralmente, para cada 20-30 palavras positivas, temos que reunir, pelo menos, o dobro de palavras negativas. É importante ressaltar que você deve negativar apenas a palavra. Então, por exemplo, se aparecer aula de violão, você negativa, apenas, “violão”.

Isso se chama campanha otimizada. Ou seja, uma campanha que está gerando resultado. O segredo de você gerar muito resultado é você fazer uma campanha otimizada desde o início.

O próximo passo é você pegar toda a sua lista de palavras, ir até a sua campanha e clicar no grupo de anúncios correspondente. Em seguida, clicar no sinal de “+” e colar no bloco a sua lista. Para as palavras negativas, é importante acrescentar o sinal de “-“ antes do termo, como o exemplo “-grátis”. Feito isso, clique em “salvar”. O próprio Google fará todo o restante do trabalho.

Vamos falar rapidamente sobre o que é correspondência de palavra-chave. Nós podemos ter: Aula de piano. aula de +piano. ‘aula de piano’. [aula de piano]. -aula de piano.

Isso se chama correspondência de palavra-chave, se você colocar a primeira opção, significa que qualquer variação o Google pode exibir o seu anúncio. A segunda opção, chama-se modificador, isso quer dizer que o seu anúncio pode ser exibido para buscas que utilizam termos derivados do seu, mais aproximados que a opção anterior. Por exemplo, se você utiliza chapéus femininos, seu anúncio pode ser visto por quem pesquisar “chapéus e lenços femininos”. O terceiro chama-se correspondência de frase, ele só mostra o seu anúncio se o usuário utilizar a palavra-chave estipulada ou variações muito próximas na mesma ordem. Por exemplo, se pesquisarem por “chapéus femininos azuis”, o seu anúncio pode aparecer. A quarta é chamada de correspondência exata. Nesse caso, o seu anúncio só é exibido em pesquisas que utilizam exatamente o termo estipulado entre os sinais.

Você não precisa se preocupar, nem achar que está complicado demais. A minha recomendação quando a correspondência de palavras-chave é que você utilize tudo amplo com muitas palavras negativas. Porque assim você não perde tráfego e nem perde dinheiro, ao aparecer para pessoas erradas.

Agora que terminamos a segmentação por palavra-chave, vamos para a parte de anúncios. Lembra que falamos sobre o público-alvo de remarketing? Agora nós podemos ajustar o lance. Clique na campanha, depois em “Públicos-Alvo”, encontre o público, clique no ícone do “lápis”, na coluna “Ajuste de Lance”, e aumente o lance em 25%. No meu caso, isso quer dizer que se você baixou o meu material, deixou o seu e-mail no meu site e voltar a pesquisar “curso de teclado”, eu pago um lance maior para aparecer em uma posição melhor para você. Porque, assim, você pode lembrar de mim e finalmente converter.

Depois de públicos-alvo, nós temos “Informações demográficas”, também parte da segmentação. Vamos supor que o meu público não é de 18 a 24 anos. O que eu faço? Posso ir até a faixa etária, clicar no símbolo de edição, ao lado da “bolinha verde” e selecionar “excluir do grupo de anúncios”. Eu não recomendo que você faça isso inicialmente na sua campanha de rede de pesquisa. Agora, se você tem pouco dinheiro, pode focar mais e então excluir quem não compra de você ou tem baixa probabilidade.

Essa mesma possibilidade você tem quanto a sexo e renda familiar. Eu deixo, especificamente na rede de pesquisa, tudo aberto. Deixo rodar as campanhas por um tempo e com os parâmetros eu vou restringindo de acordo com o que funciona ou não.

Agora nós vamos falar sobre anúncio e extensões para encerrar a nossa aula de hoje. Há dois tipos de anúncios que você precisa conhecer e aprender a trabalhar. Que é primeiro o anúncio de texto e o anúncio de pesquisa responsivo. O anúncio de texto é aquele padrão que você conhece.

Para criar, você vai até o seu grupo de anúncio, depois vai clicar em “Anúncios e extensões”. Em seguida, clique no ícone “+” e escolha a opção “Anúncio de Texto”. Na primeira linha, você vai colocar a URL da sua Landing Page. Na próxima etapa, você vai escolher os títulos do seu anúncio. Por exemplo, o meu ficou assim: Título 1: Curso de Piano. Título 2: 100% online. Título 3: Comece Agora.

Eu não vou falar sobre escrita de anúncio, mas caso você queira se aprofundar no assunto, eu tenho um material bem completo aqui, no blog. No meu canal do Youtube também está disponível uma playlist completa sobre anúncios Google. Caso queira focar nesse assunto, indico o vídeo sobre 15 dicas para criar um bom anúncio de texto no Google.

Seguindo na parte prática, você vai preencher o caminho de exibição, que é como aparecerá a URL. O meu ficou assim: Caminho 1: Curso. Caminho 2: Piano. Em sequência, vamos fazer a descrição 1 e 2. Veja como ficou as minhas: 1. Comece Agora a Estudar Piano do Zero e Toque Sua Primeira Música em 30 dias. 2. Não Perca Mais Tempo. Comece a Tocar Piano Agora. Inscreva-se. Feito isso, você poderá pré-visualizar o seu anúncio na lateral direita da tela, tanto para dispositivo móvel, quanto para desktop.

Algumas dicas: Tente sempre preencher o máximo dos caracteres em cada linha, como título e descrição, aproveite o espaço. Insira call to action, ou seja, uma chamada para ação. Utilize letras maiúsculas no começo de cada palavra ou, ao menos, nas mais importantes. Afinal, segundo dados do próprio Google, esse tipo de anúncio chama mais a atenção e traz mais cliques por ser mais fácil de entender. Use a URL de visualização para vender também. Isso quer dizer, utilize palavras importantes, que deixem claro a sua oferta ao mesmo tempo em que desperta o interesse em clicar para saber mais.

Para finalizar, você vai clicar em “Salvar e Adicionar Outro”. Agora você vai criar outro anúncio, porque é necessário no mínimo 3, como falamos anteriormente. Você vai colocar palavras diferentes, frases diferentes, para que o Google possa realizar o teste a/b e lhe mostrar qual formato tem melhor performance.

Terminou o segundo? Então vamos fazer o terceiro juntos, pois vamos escolher um anúncio de pesquisa responsivo. Para quem não sabe, anúncio responsivo é a coisa mais básica que tem. Na verdade, é um tipo de anúncio que se adapta a qualquer formato e lugar. Então, você não precisa necessariamente construir um anúncio para cada formato de banner e plataforma de anúncio, o próprio Google faz isso por você, bastando fornecer alguns dados.

Ou seja, ao invés de você criar dezenas de anúncios, você insere vários títulos, diversas descrições, e o Google vai fazer centenas de combinações para lhe dizer qual funciona melhor.

Para criar um anúncio de pesquisa responsivo, você vai clicar no ícone “+” e escolher a opção na lista. Você vai se deparar com a mesma estrutura anterior, apenas com mais linhas de preenchimento. Então, na prática, você vai inserir os títulos e as descrições para que o Google possa combinar e rotacionar na exibição. Cuidado, apenas, para não repetir as palavras. Existe uma sacada nesse recurso, você pode fixar um dos títulos para que ele não mude de ordem ao ser exibido. Por exemplo, se eu quiser que “Curso de Piano” sempre apareça primeiro, eu posso clicar ao lado da palavra e escolher a opção “Mostrar esse título apenas na posição 1”. 

Depois de tudo configurado, basta clicar em “Salvar Novo Anúncio”. Pronto, nossos 3 anúncios estão feitos em poucos minutos. Agora, você vai clicar em “ver detalhes dos recursos”, localizado no anúncio de pesquisa responsivo. Nessa página, será possível ver as métricas de desempenho dos títulos e descrições, as combinações e qual obteve melhor desempenho, mais impressões. Deixe o Google trabalhar.

Para finalizar, vamos falar sobre extensões de anúncio. As extensões são “complementos” do anúncio, recursos que ajudam o usuário e ainda tornam o seu anúncio mais chamativo, pois trazem informações adicionais sobre a sua oferta. Por exemplo, quando o telefone é exibido no anúncio, é porque ele tem a extensão de chamada. Assim como links, através dos sitelinks. O sitelinks, é a extensão que possibilita você colocar links abaixo do seu anúncio. Extensão de frase de destaque, como o próprio nome já diz, destaca algumas pequenas frases e deixa o seu anúncio mais chamativo. Temos também snippets estruturados, que são anúncios para você colocar a marca, modelos, tipos de produtos.

Tiago, qual extensão eu devo colocar? Todas que você puder. O máximo que for agregar valor ao seu anúncio. Faça testes. Para adicionar uma extensão, basta clicar na aba “Extensões” e escolher a opção que deseja, depois basta preencher com a frase ou palavra, tudo muito intuitivo e simples. Uma vez salvo, a extensão aparecerá na lista. Assim como você faz um teste de anúncio, você também deve fazer um teste de extensão. E o teste de extensão é importante, porque as extensões vão rotacionar e assim você vai notar quais vão se destacar. Dessa forma, você vai pegar as melhores e inserir nos seus anúncios, no seu site, no seu e-mail marketing e tudo que for possível.

Não se preocupe se a sua campanha começar com um nível ruim em resultados. É normal. A tendência é que na primeira semana ela tenha retornos pouco interessantes, mas com os testes, ao conhecer mais os recursos, o seu público e otimizando o que está bom e retirando o que está ruim, ela vai começar a subir. Na segunda semana você já deve estar vendo um crescimento, que deve ser contínuo ao longo do tempo até que se atinja o ápice. Não desista na fase de aprendizagem.

Comece o quanto antes e nunca mais pare!

Central de Dúvidas

É mais indicado arrumar uma campanha que está rodando ou criar uma nova do zero? Depende. Cada caso é um caso, mas geralmente é melhor arrumar a campanha atual. Agora, se ela está muito ruim, então comece uma nova.

Campanhas novas se deve começar com CPC otimizado, certo? Depois de quantos dias e quantas conversões devo mudar a estratégia para CPA? Você vai mudar para CPA depois que ativar essa possibilidade na sua conta.

Quero agradecer você que aproveitou esse conteúdo até o final. Muito obrigado! Até a próxima. Se tiver alguma dúvida, me chame lá no direct do Instagram, eu estou sempre de olho e vou responder você.

A gente se vê! Um forte abraço.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Aprenda a anunciar no Google com Orçamento Baixo

Ebook + Aula Completa Inclusa. Baixe Agora. É Grátis.

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos e com prioridade

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Aprenda mais sobre Marketing Digital no Instagram Me siga →