7 Estratégias para vender mais investindo menos no Google

Fala galera, seja bem-vindo ao conteúdo. Resolvi fazer esse material para a gente conversar sobre 7 estratégias para você vender mais no Google, investindo menos. Vamos para cima!

Eu preparei um conteúdo para, realmente, fazer diferença nos sus projetos aqui, hoje. Que é você investir menos no Google e ter um faturamento, um lucro, maior. Investir menos não significa que você tem que procurar diminuir o quanto você “gasta” no Google. Na verdade, quanto mais você investir, melhor. Porém, o pessoal pensa que para ter grandes resultados, excelente ROI, tem que colocar muita grana. Não funciona bem assim. Você tem que gastar o seu dinheiro de uma maneira inteligente, para que haja um lucro melhor.

1ª Estratégia – Jornada de Compra do Consumidor

O que isso significa? Você tem que entender o processo de quem vai comprar um produto ou serviço na internet. Assim é necessário ficar ligado em uma coisa: Em que momento aquele usuário está em relação a esse produto? Se ele está no momento de descobrir, buscar informações ou de compra. Vamos exemplificar, mais ou menos, como esse processo funciona. Imagine que a gente tem uma linha do tempo. 

No primeiro passo, a gente identifica uma dor ou um desejo. Pode ser querer resolver algo. Então, por exemplo, não estou conseguindo pentear o meu cabelo. Nesse caso, preciso comprar algo para resolver o meu problema.

O segundo passo após a identificação da dor ou desejo é buscar na internet opções de produtos ou serviços que possam oferecer essas soluções. É nesse passo que se começa a gerar um interesse maior para resolver esse problema. E dependendo do tamanho da dor ou desejo, se inicia o terceiro passo. Onde começa a comparação entre as opções. O usuário já decidiu que precisa de uma dessas soluções, mas agora quer investigar melhor os benefícios de cada opção. O quarto passo é quando o usuário já está pronto para comprar. Esse é o estágio que a gente chama de “momento da compra”.

Se você está começando a anunciar no Google agora, iniciando no Marketing Digital, é importante que você foque na pessoa que já decidiu, já fez a pesquisa, já entendeu do produto-serviço. É na galera que vai no Google e digita, por exemplo, “Comprar TV”. Esse é um termo de busca que demonstra claramente que essa pessoa já decidiu que vai comprar uma televisão. Trata-se de uma palavra-chave fundo de funil.

O funil ao qual estamos conversando é composto por três níveis. O topo, o meio e o fundo. Isso é o básico do marketing digital. O fundo do funil é a galera que já conhece aquilo que você vende. Eles só vão decidir de quem vão comprar. Por exemplo, teremos a presença na pesquisa de palavras, como: “comprar tv”, “comprar tv da Samsung”, e assim por diante. Se ele me conhece, por exemplo, e sabe da importância de anunciar no Google, ele pode procurar “comprar um curso de Google”, “comprar um treinamento de vendas”.

E para a gente começar, nós vamos focar nesse nível, no fundo do funil. Porque você não precisa educar esses usuários. Eles já sabem que precisam comprar. Esse caso, geralmente, apresenta um custo de investimento menor.

No topo do funil, você precisa educar. O usuário tem uma dor ou um interesse. No meio, ele ainda está se decidindo, entendendo como funciona as possíveis soluções. E, por isso, ao focar na parcela do público que está nesses dois momentos da jornada de compra, será necessário educar para que eles cheguem no fundo. No fundo, o usuário já está pronto para comprar, e é nesse momento que nós vamos anunciar para ele. 

Não sei qual é o seu cenário. Se você já está ou não investindo no Google, mas mesmo que esteja começando do zero, tudo o que estou passando aqui vai funcionar para você.

Então, resumindo, após essa introdução, vamos dizer que o primeiro passo da estratégia é utilizar palavras-chave focado no momento da compra. Quer vender muito, investindo menos? Então vamos focar em palavras-chave no momento da compra.

Vamos supor que eu esteja vendendo um curso de Google. O que eu faço? Vou procurar palavras que já demonstram claramente o interesse da pessoa em comprar o meu produto. Por exemplo, a palavra-chave “o que é Google Ads” é um termo de alguém que já decidiu comprar? Sim ou não? Não! Agora, a palavra “curso Google Ads” demonstra que o usuário está no momento da compra. Um outro exemplo, se a pessoa pesquisa no Google “Aprender a vender”, ela está em qual estágio do funil? De fato, a gente não tem certeza. Por ser um termo muito amplo, eu não vou utilizar essa palavra inicialmente. Enfim, nesse passo, você vai fazer uma lista de palavras que é bem focada e deixa muito claro que o usuário está prestes a realizar a compra. Vão ser poucas palavras que você vai focar. E são as que vão gerar mais resultados.

Mas o que eu faço na prática? Você vai até o Google Ads, depois em “Ferramentas”, “Planejador de Palavras-chave” e assim descobrir essas palavras que estão no fundo do funil, no momento da compra. O local exato onde você vai fazer essa descoberta é na linha “Encontrar novas palavras”, dentro do planejador.

Eu vou utiliza o exemplo do curso de Google, só para que você tenha uma noção de como funciona na prática. Na hora de fazer o seu, foque em termos que representem de forma mais fiel possível o que você oferece. Aqui, eu coloquei “curso Google Ads”, “anunciar no Google ads”. Após escrever suas palavras, clique em “Começar”. O planejador lhe dará algumas sugestões de palavras relevantes para que você anuncie.

No meu caso, dentre os resultados apresentados durante essa pesquisa, as palavras ultra relevantes para mim são: “curso Google Adwords”, “curso Adwords”, “curso de Adwords”, “Google Adwords curso”, “cursos Google”. Um detalhe, têm algumas palavras que apresentam mais pesquisas, como, por exemplo, “anunciar no Google”. Isso nos mostra que esses usuários querem anunciar no Google, mas, provavelmente, ainda estão procurando informações. Então, vale a pena anunciar? Pode ser que sim, mas depende do seu ramo, da sua oferta. Vale a pena o teste, porém talvez seja interessante não colocar essa palavra em um grupo de anúncio tão focado.

Como disse anteriormente, nesse primeiro passo, você precisa agir de acordo com a seguinte afirmação: Quero pessoas que eu tenho certeza que elas querem o meu produto ou serviço. No momento da compra. Seguindo isso, eu descartaria, nesse primeiro momento, essa palavra-chave.

Se você está anunciando na rede de pesquisa do Google e não tem resultado com essas palavras, é porque você tem um problema de oferta. Isso quer dizer, se você não está conseguindo resultado com esses termos focados, onde o consumidor já quer comprar aquilo que você vende, não adianta você ampliar muito as palavras-chave, porque não vai conseguir melhorar o resultado. Então, isso aqui é um bom teste, até para validar a sua oferta.

Se você vende caneta e o usuário digita “comprar caneta”, mas não compra a sua. O que isso significa para você? Que a sua oferta não está boa. Que aquilo que você está vendendo precisa melhorar, gerar mais interesse.

2ª Estratégia – Refinar Ainda Mais a Segmentação

Como eu faço isso? A galera, quando anuncia no Google, acaba usando uma segmentação só. O que é um erro gigante. Porque, no mínimo, quando você anuncia no Google, é necessário utilizar 2-3 segmentações. Onde você faz uma união de segmentação. É importante você conhecer bem o seu público alvo, é o básico no marketing.

Vamos supor. Seguindo essa estratégia, utilizando 3 segmentações diferentes, eu fiz uma pesquisa e sei que o meu público é composto, em maioria, por pessoas de 25 a 55 anos. A primeira segmentação é por idade. Na segunda, eu estou focando nas palavras-chave, como falamos no passo 1. A terceira segmentação, caso estivéssemos anunciando para a rede de display, pode ser não anunciar para canais infantis e de humor, por exemplo. Na rede de pesquisa, vamos trabalhar só com as 2 primeiras.

Veja se faz sentindo. A gente quer investir menos e ter um lucro maior. Então, eu estou focando nas palavras de momento da compra, ou seja, de fundo de funil, e em um segundo momento eu faço a união da segmentação por faixa etária correspondente a grande maioria do meu público. Simples assim. Então, ao invés de focar só em palavras-chave e sabendo que a terceira idade não vai comprar um curso de Google, nem os mais jovens, eu faço essa união: Palavras bem focadas + Demográfica. Isso aqui é para quem ter certeza de quem é o seu público-alvo. Se você não sabe, então inicie só com as palavras-chave.

Se você me disser: Tiago, eu não sei o meu público-alvo e eu quero descobrir. Você pode ir até as ferramentas na sua conta de Google e depois em “Gerenciador de Públicos-alvo”. Vá até a aba “Públicos Personalizados”. Clicando no ícone de “+”, você deve selecionar a opção “Afinidade Personalizada”. Nesse bloco, você pode pegar sites de concorrentes ou de pessoas que vendem produtos parecidos com o seu e, assim, o Google vai lhe trazer algumas informações, inclusive, demográficas. 

É importante ressaltar que o site de referência deve ter visitas suficientes para retornar com informações. O Google recomenda que você coloque ao menos 5 URLs diferentes para que tenha dados mais conclusivos desse público em questão.

Por exemplo, ao pegar o site do Ramon, o Aprenda Piano, e colocar na ferramenta, o Google me mostrou basicamente a idade das pessoas que entram no site dele, o sexo desse público, se tem filhos ou não, além de tópicos principais do site. Esses tópicos se referem a quais temáticas as pessoas que entram naquele site se interessam frequentemente ao assistirem vídeos no Youtube, canais no Youtube ou sites-blogs. Quando for construir um anúncio no Google, para a rede de Display, você pode aplicar a segmentação por tópicos e utilizar essa informação. Trata-se de uma segmentação mais ampla quando a gente fala de escala. E você vai ter um resultado legal.

É importante que você fique atento a esses dados. Porque eles não se referenciam especificamente às pessoas que compram, mas sim as visitas do site. Essas informações são para que você tenha um norte, caso não conheça nada sobre o seu público. Além de sites de concorrentes, você pode também colocar, por exemplo, a URL específica de uma Landing Page que está recebendo muito tráfego.

Não sei se você já conhecia essa ferramenta, mas ela é gratuita e do próprio Google, onde você pode colocar qualquer site e puxar informações. Eu sempre indico esse recurso para quem ainda não tem clientes.

Caso você já tenha clientes, você vai pegar a idade média dos seus clientes. E aí, lá na rede de pesquisa do Google, na aba “Informação Demográfica”, você vai ver uma lista de faixa etária, então poderá selecionar quais intervalos de idades não deseja anunciar. Isso nada mais é do que a união de segmentação.

Na prática, o que acontece é que o seu anúncio só será exibido para usuários com a idade pré-estabelecida por você, que utilizarem as palavras-chave focadas na pesquisa. Quando você refina a sua segmentação nesse nível, você não desperdiça dinheiro com pessoas que não vão comprar o seu produto-serviço.

Nesse mesmo local, você pode também aplicar a segmentação por sexo, por renda familiar e outros. No caso do gênero, você pode excluir o feminino ou o masculino. Por exemplo, vamos dizer que 80% do público que converte para você é formado por mulheres e 20% por homens. Você acha que vale a pena deixar o masculino visualizar os seus anúncios? Isso vai depender. Eu costumo dizer que se o seu investimento em marketing é ainda reduzido, vamos dizer que você esteja limitado pelo orçamento, está investindo muito pouco, vale a pena excluir o masculino e colocar toda a grana no feminino. Porque, nesse caso, o feminino tem quatro vezes mais chance de converter do que o masculino. Agora, quando você começar a escalar, investir mais no Google, aí sim você pode incluir o masculino.

A estratégia 2 então é: Focar no Público Comprador!

3ª Estratégia – Criar Anúncios Claros para Espantar os Curiosos

Quer parar de jogar dinheiro fora? Então é isso que você tem que fazer. Vamos supor que eu esteja vendendo um produto que é mais requintado, por isso, mais caro. Então, se eu colocar assim: Venha Conhecer Meu Produto X. Concorda que é uma chamada muito ampla? Terá usuário que vai chegar procurando por oferta de preço, vai ter muito clique. Isso é bom ou ruim?

Bom, preste atenção. Aparecer no Google é de graça, porque você tem a opção de pagar só por clique. Então, para aparecer, você não vai pagar nada. Agora, se o usuário clicar e for para o seu site, você paga o Google. A partir disso, você precisa garantir que o usuário que clicar no seu anúncio já saiba, mais ou menos, o preço que você cobra, que você tem um produto mais requintado e etc.

Então, para você espantar o curioso, aquele que não tem grana, que está ali para clicar, mas não vai comprar o seu produto, é necessário ter anúncios claros. Não estou falando de colocar o preço no anúncio.

Vamos supor que você tenha uma clínica de alto padrão. Por exemplo, eu tenho um amigo, aqui na minha cidade, que é dentista em uma clínica alto padrão, e obviamente ele cobra mais caro. Como ele pode passar a mensagem de que o consultório dele é mais requintado, espantando o usuário que está em busca de preço mais baixo, sem colocar o preço, já que isso não é permitido para a área médica?

Por exemplo, é possível utilizar frases como: “Consultório Alto Padrão”, “X Anos no Mercado” ou outras que demonstrem que o consultório trabalha preços mais altos que a média. A mensagem principal por trás da frase deve ser: Não venha para cá, se você está procurando o melhor preço. Na verdade, a oferta é pela melhor qualidade de serviço, personalização, entre outras nesse sentido.

Quando estamos falando de Copy de Anúncios, a gente tem que pensar o seguinte: A frase tem que dizer muito mais do que a escrita. Então, por exemplo, quando eu utilizo a frase “Consultório de Alto Padrão”, estou dizendo automaticamente que não é barato. É por isso que você tem que ficar ligado quando a gente fala em construção de anúncio. Quando eu falo do Conversão Extrema, coloco frases como: “Curso com mentorias em grupo”. Ninguém vai pensar que esse curso custa R$20 reais. Porque pela frase já se subentende que o curso não é barato.

Então, crie frases que espanta o curioso. Porque se ele não clicar no seu anúncio, você não paga nada. Você aparece no Google de graça e isso é branding para a sua marca. Se o cara clicou, ele precisa converter, especialmente se você está investindo pouco. Essa é a meta.

4ª Estratégia – Pegar o Contato Antes da Concretização da Compra

Muita gente chega até mim dizendo que não consegue vender no Google. Cara, o Google é a internet, se você não consegue vender lá, você não vai vender em lugar nenhum. Pode até ser que você venda no Facebook ou no Instagram, mas não vai conseguir escalar. O Google é o poder total.

Então, se você tem uma Landing page e está vendendo um serviço-produto, podendo ser físico ou digital, o que você faz? Presta atenção. Você vai enviar tráfego para a Landing page, e nesse ponto temos opções. Você pode enviar tráfego do Youtube, do Google, Facebook, entre outros. Na sua página tem a headline que você fez e logo abaixo o botão para o usuário comprar.

O que acontece? É normal, isso também vai acontecer com você. Vão entrar 10 pessoas no seu site e 1 vai comprar. Se for muito bom, umas 2 ou 3. Isso porque a gente está focando bastante. Ok. Mas, Tiago, como eu faço para aumentar esse número? Investindo pouco e vendendo mais? O segredo é pegar o contato do usuário antes de concretizar a venda.

Muita gente vai desistir. No mínimo detalhe, o potencial consumidor vai desistir. É assim que funciona a conversão, poucas pessoas se mantém ao longo da jornada, pois elas vão sendo “sugadas” no processo. Isso é algo importante que você precisa pensar. Tem gente que vai ser firme e forte e vai comprar. Mas também tem gente que precisa de um empurrãozinho. O que você faz nesse momento? Pega o contato do usuário, antes dele comprar.

Vamos supor que o usuário entrou na sua Landing Page para comprar um produto, antes de qualquer coisa, você pode colocar uma janela para que ele coloque o nome e o WhatsApp ou o e-mail. Isso porque, 10 pessoas vão entrar, 1 vai comprar direto, outras vão desistir por qualquer mínimo detalhe que surgir. É claro que estamos falando de uma escala bem pequena, em alta escala esse número é bem diferente.

O que você vai fazer com esses 9? Vai perder? Não. Você vai entrar em contato com esses 9. Você não precisa ter ferramenta no Whats para fazer isso. Pega o número do cliente e já entra em contato. Fala que percebeu o interesse dele no produto, se disponibiliza a ajudar, a tirar dúvidas, puxa para a venda. Você tem que ser vendedor. É claro, você não vai só vender, mas também vai entender o que fez com que o cara não comprasse de você. O que faltou? E assim, vai começar a identificar objeções.

Tráfego Qualificado + 0 Vendas = Muitas Objeções

Ou seja, se eu enviar muito tráfego qualificado e eu não tiver nenhuma venda, quer dizer que eu tenho muitas objeções. As quais eu preciso resolver. Como eu faço para resolver? Eu tenho que escutar o meu público, especialmente aquele usuário que não comprou o meu produto.

E como a gente faz para vender para esse cara? Ou seja, para quem entrou e não comprou? Muito simples. Vamos matar essas objeções. Por exemplo, se o potencial cliente disser que a sua oferta não ficou muito clara para ele, você precisa melhorar a sua Landing Page. Se ele disser que o seu produto não é para ele, porque o cliente é muito básico. Caso que aconteceu comigo no Conversão Extrema, você pode incluir frases na sua página, como eu fiz. Eu quebrei essa objeção colocando a seguinte frase: “Uma semana de aulas do zero ao avançado”. Toda e qualquer objeção pode ser eliminada como uma melhora na construção da sua página de vendas.

Se houver uma objeção, por exemplo, por causa do preço do frete, o que você pode fazer? Talvez, aumentar um pouco o preço do produto, já apresentando a oferta com a inclusão do frete. O que, aparentemente, aos olhos do cliente, sairia com frete grátis. Ou, ainda, fazer parcerias com transportadoras.

Outra objeção muito comum é aquela que o potencial cliente diz que encontrou um concorrente mais barato. Nesse caso, você vai analisar o concorrente e se não conseguir bater o preço dele, passe a deixar mais claro as suas vantagens em relação a esse concorrente.

Quando você mata as objeções, você terá tráfego qualificado e muitas vendas! Não sabe quais são as objeções? Pergunte aos seus potenciais clientes. E isso você já sabe como fazer, pegando o contato deles, antes da concretização da compra.

5ª Estratégia – Campanha de Remarketing Focado

Como funciona? Por exemplo, você vai ter a sua página, ao qual enviará tráfego do Facebook, Google, Youtube e etc. Terão 100 pessoas que vão entrar nessa página. Dessas 100 pessoas, vamos supor que 3 finalizaram a conversão. Sobrarão 97. E agora, Tiago? O que eu faço com essas 97 Pessoas? Você vai criar anúncios perseguidores.

Por que? Simplesmente, porque, pelos motivos mais variados possíveis, as pessoas acabam não comprando o produto no primeiro contato. Então, você tem que estar pronto para trabalhar uma campanha de remarketing focado. Isso é, focar nessas 97 pessoas, “perseguindo-as” com seus anúncios, até elas comprarem.

E aí vem a grande sacada. Foca nos primeiros dias. Segundo o Google, o usuário que entra no seu site hoje, sem converter, e começa a ver seus anúncios de remarketing do que ele se interessou, tem 90% de chance de realizar a compra. No entanto, essa porcentagem de nível de interesse no segundo dia já cai para 80%. E assim subsequentemente, até acabar completamente. Depois do oitavo dia é muito raro que você consiga converter essa pessoa diretamente, sem precisar aquecer.

O que você deve fazer, então? Um remarketing de 7 dias. Ou seja, se o usuário entrar na sua página e não comprar o seu produto, você vai negativar os compradores, fazendo com que esse que ainda não converteu fique vendo o anúncio perseguidor por 7 dias.

Na prática, você terá que primeiro construir um público de pessoas que entram em uma página específica. Para fazer isso é muito simples. Você vai entrar na sua conta de Google, depois em “Gerenciador de Públicos-Alvo”. Em seguida, clique no botão “+”, escolhendo a opção “visitantes do website”. A partir de agora é só preencher as linhas do bloco, dando um nome para o público, como, por exemplo, “pessoas que entraram no meu site nos últimos 7 dias”. Nesse caso, é importante especificar o nome da Landing page. Depois, basta colocar a URL no campo abaixo e salvar.

Quando você salva, cria-se um público de remarketing dessas pessoas. E na hora de construir o seu anúncio, que é bem tranquilo, você vai em “+”, nova campanha, podendo fazê-la focada em vendas, leads ou até sem nenhuma meta. Para o nosso exemplo, eu vou usar “Vendas” e “Rede de Display”. A rede de display é você anunciar em sites parceiros do Google, no Youtube, em canais, aplicativos e blogs, por exemplo. Depois de fazer essa seleção, você deve colocar o site no último bloco e clicar em “continuar”. Eu não vou falar mais profundamente sobre a criação da campanha de remarketing nesse conteúdo, pois estamos focados na questão do público nesse momento. Por isso, após toda a configuração da campanha, você vai até o bloco “Públicos-Alvo”, seleciona remarketing, visitante do site e escolha o público na lista. Uma vez concluído, a campanha vai “perseguir” essas pessoas.

Essa estratégia é muito importante para você não perder vendas. O remarketing é uma das campanhas que mais gera resultado. Terão aqui, em breve, conteúdos específicos só sobre remarketing. Como criar campanhas de remarketing no Google, entre outros assuntos relacionados. E outra coisa, estou falando aqui de Google, mas na verdade você deve construir a mesma coisa no Facebook e Instagram.

Então, o usuário que sair do seu site tem que ser perseguido por onde ele for. E aí vem o grande segredo: Você vai gastar muito pouco nessa campanha, porque vai focar só naquelas pessoas que já demonstraram interesse pelo que você vende.

6ª Estratégia – Remarketing Assistência de Conversão (Depoimentos/Conteúdo)

Imagine que você está pesquisando no Google um treinamento, um curso ou qualquer produto. Você entra em uma página, não compra o produto e vai para o Youtube. Quando você dá play em um vídeo que gosta de assistir, entra um vídeo curto antes. É aí que entra o remarketing de assistência de conversão. Você verá, por exemplo, um vídeo com depoimentos de pessoas que compraram o produto que você acabou de pesquisar, mas não comprou. Ou também poder ver conteúdo falando mais profundamente sobre o produto.

Isso se chama assistência de conversão. Uma estratégia onde você cria anúncios que vão ajudar no convencimento da pessoa a comprar o seu produto ou serviço. E essa é a forma mais barata de você anunciar e convencer o seu potencial cliente.

Eu costumo falar que uma venda começa muito antes de você falar do seu produto. Muito antes. Então, o seguinte, quando o usuário entra no seu site hoje e ele sai… que tipo de anúncio ele vê? Depoimentos? Conteúdos de aquecimento? Ele precisa estar certo de que precisa do seu produto, esse é um trabalho de persuasão, de poder de convencimento. E a estratégia funciona para qualquer serviço ou produto.

Anúncios de remarketing focado é muito barato e gera resultado, porque você foca no cliente que já demonstrou interesse. Simples assim. Você não precisa convencer muitas pessoas inicialmente, você tem que convencer as pessoas que já entraram no seu site. Ou seja, que já conhecem você, demonstraram interesse.

7ª Estratégia – Supere a Oferta da Concorrência

O óbvio não é óbvio. Eu já fiz anúncios no Google para vários clientes, mas um caso específico me chamou a atenção. Eu estava tentando melhorar os resultados desse cliente, mas não gerava vendas. Não vendia o produto dele de jeito nenhum. Mas, porque? Muitas vezes, a gente foca só na ferramenta e esquece que tem muita coisa por trás que influencia a venda. O que eu fiz? Antes de mexer na conta do cliente, eu fiz uma pesquisa como consumidor. E eu encontrei, em menos de 10 segundos, 3 ofertas melhores do que a dele. Ele estava oferecendo mais caro, com frete mais alto e com muitas reclamações no Reclame Aqui. E, claro, isso tudo atrapalha a conversão.

Então, eu sempre falo que o Google não faz milagre. E é por isso que você tem que ficar atento a esses pontos. Ao invés de você ficar focando em fazer de tudo no Google, você precisa ser a melhor opção.

Sabe o que você faz? Abra uma janela anônima e pesquise o seu negócio, como um consumidor comum. Verifique tudo e procure julgar, de verdade, se você é a melhor opção nesse nicho-mercado. Se você não for a melhor opção, é hora de buscar superar a oferta da concorrência. Caso você não faça isso, as pessoas vão clicar no seu anúncio e não vão comprar, já que elas comparam.

Então, se pergunte: O meu atendimento pré-venda é melhor? Meu site está melhor? Minha oferta de preço está melhor? Eu compraria de mim mesmo? 

Se você está com receio de não conseguir ser imparcial nessas respostas, crie uma pesquisa e disponibilize para que as pessoas respondam. Se possível, deixe que aquelas pessoas que te “odeiam” respondam. Porque, são essas pessoas que vão apontar as melhores direções.

Você precisa ser o melhor, porque assim você vai arrebentar em vendas. No Google, no Facebook, onde você quiser.

Central de Dúvidas

Como ficam as lojas físicas, ou seja, aquelas não vendem em e-commerce? Qual a estratégia para esse tipo de negócio? Loja física é um dos modelos mais simples para trabalhar. Eu, particularmente, trabalharia 6 estratégias que se complementam, o básico:

  1. Colocar local nos anúncios para incentivar o potencial cliente ir à loja. 
  2. Utilizar extensão de chamadas, para facilitar e aumentar o número de ligações. Além de usar o phonetrack para rastrear ligações e conversões. 
  3. Criar anúncios para incentivar o cliente a visitar a loja, com promoções exclusivas e auxílio do recurso de contagem regressiva, por exemplo. 
  4. Usar CPC alto na sua região também é interessante. Por exemplo, delimite cerca de 50km em torno da sua loja, com um CPA de R$5 reais. Ou seja, você vai dominar o topo. Nesse caso, você vai pagar alto por clique, mas vai ganhar muito em visualização, o que no fim sairá muito barato. 
  5. Invista em Facebook e Instagram, encaminhando para o WhatsApp, é claro.
  6. Rede de display com apenas segmentação local. Quando a gente anuncia na rede de display, Brasil inteiro, segmenta, por exemplo, tópicos, site, palavra-chave, entre outras. Agora, se você tem uma loja, vamos supor, uma farmácia, o mais inteligente é “abordar” frequentemente as pessoas da sua região. Para que todo mundo na sua cidade e no entorno fique sabendo da sua loja. Como você faz isso? Você vai criar anúncios na rede de display do Google e vai limitar só pelo local. Assim, você vai sair em qualquer site. Negative só o básico, como, por exemplo, não aparecer para crianças. Dessa forma, investindo R$150 reais, você vai aparecer tanto que ficará conhecido na sua região. O foco é branding total, você vai gastar muito pouco e vai incentivar as pessoas a converterem na sua loja.

Como ativar o remarketing no Google? A minha conta ainda não permite. Toda conta permite começar uma campanha de remarketing. A não ser que você venda algum produto do nicho adulto. Nesse caso, não é possível fazer anúncio na rede de display.

Quanto tempo você demorou para ter esse conhecimento? Eu trabalho desde 2011 apenas com marketing digital. Tenho 3 empresas, uma agência chamada Blueberry Marketing Online. O Aprenda Piano. E o Conversão Extrema. Mas, você não precisa levar todo esse tempo para ter esse resultado que eu tenho. Eu digo isso, porque eu aprendi muita coisa sozinho. E na minha época não tinham pessoas que eu podia me referenciar da maneira certa. Se você se dedicar e colocar a mão na massa, o resultado vem muito mais rápido. Conheço pessoas que levaram apenas 3-6 meses, 1 ano. Depende muito de você, mais do que qualquer conteúdo ou curso.

Tenho uma base de clientes que compraram o meu produto e estão satisfeitos. Consigo usá-la para criar um público semelhante? Sim! Para fazer isso, é só você ir até a sua conta Google, depois em “Ferramentas” e em seguida “Gerenciador de Públicos-Alvo”. Na verdade, quando você sobe o público, o próprio Google já cria públicos semelhantes automaticamente. Basta você localizá-los nessa lista. É importante ressaltar que é necessário ter uma lista bastante grande no Google para puxar essas informações. Ter um investimento mais alto, se eu não me engano, porque eles mudaram essa regra. Mas se for de remarketing de site normal, ele já vai criando público semelhante.

Para iniciantes como afiliado, qual a melhor opção de lance: Conversão ou clique? Sempre conversão. Você começa com CPC otimizado para gerar conversões e depois muda para CPA. Agora, tem a grande sacada. Quanto ao CPC otimizado, eu já fiz vários testes. Em uma conta minha, eu trabalhei com ele, porque traz mais volume, porém um custo por conversão maior. Foi uma estratégia que deu muito certo, mas é necessário que você teste. O CPA traz menos volume, mas garante o custo de conversão mais baixo. Então, depende da forma como você deseja jogar. De modo geral, o melhor, segundo o Google, é o CPA.

É isso! Gostaria de agradecer você que leu e aproveitou de verdade esse conteúdo. Se você quer realmente fazer acontecer, estamos juntos. A gente se vê no próximo material. 

Até lá.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Aprenda a anunciar no Google com Orçamento Baixo

Ebook + Aula Completa Inclusa. Baixe Agora. É Grátis.

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos e com prioridade

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Aprenda mais sobre Marketing Digital no Instagram Me siga →