Visão Geral Do Gerenciador De Palavras-Chave Do Google

Planejador de palavras-chave do Google. Nesse conteúdo, nós vamos discutir um pouco sobre essa ferramenta que é muito importante para te ajudar a encontrar as melhores palavras-chave para anunciar no Google. Ela não serve só para que você pegue essas palavras para anunciar, mas também para lhe ajudar a ter ideias para criar seus artigos, conteúdos, seus vídeos no Youtube, até para anunciar na pesquisa do Youtube essa ferramenta é importante. 

Então, vamos analisar ela com calma, porque eu tenho certeza que quando você tiver esse conhecimento, isso vai lhe ajudar muito a planejar melhor as suas campanhas e melhorar a sua segmentação de palavras-chave.

Como Acessar o Gerenciador de Palavras-Chave do Google?

Para acessar esse recurso, você vai entrar na sua conta de Google. Depois vai em “ferramentas” e em “planejamento”, no primeiro bloco, vai clicar em “Planejador de palavras-chave”.

Quando clicar, você vai ter a possibilidade de adicionar as palavras que deseja planejar. Então, duas opções serão exibidas para você: “Encontrar novas palavras-chave” ou “Ver volume de pesquisa e previsões”. O ideal é você clicar na primeira opção, ou seja, encontrar novas palavras, porque já terá uma previsão. E colocar algumas palavras relacionadas ao seu negócio. No meu, por exemplo, eu vou colocar: anunciar no Google, curso de Google Ads, anunciar Adwords e outras. Você deverá colocar umas 5 ou 6 palavras que têm relação direta com o que você vende. Depois clique em “Começar”.

Ao fazer isso, você será direcionado para o planejador de palavras-chave do Google. E aqui eu quero lhe dar uma visão geral para que você entenda um pouco sobre essa ferramenta que é supersimples de utilizar, é gratuita e ajuda muito nas nossas campanhas no dia a dia.

Locais, Idioma e Redes de Pesquisa

Logo acima, na barra de busca, você visualizará as palavras que adicionou. No topo da página, você verá: Locais, idioma e redes de pesquisa. No meu, eu coloquei Brasil, português e Google, respectivamente. Mas, você pode modificar, caso esteja em regiões diferentes, idioma diferente e etc.

Ideias de Palavras-chave e Ideias Agrupadas

No menu esquerdo, a gente tem: “Ideias de Palavras-Chave”, “Ideias agrupadas”, ou seja, o Google pega o termo utilizado e já junta para você analisar de uma forma mais organizada. Por exemplo, o Google me mostrou na primeira linha o termo “Adwords Certificado”, então muita gente pesquisa sobre isso, mas dentro dessa categoria tem Adwords certificado e alguma outra palavra, por exemplo, curso Google Adwords certificado. A partir desse agrupamento você consegue ter algumas ideias. Mas eu sempre gosto de usar a primeira opção do menu, que é “Ideias de palavras-chave”.

Seguindo a ordem do menu, indo para baixo, fica a parte onde você pode incluir palavras e ter alguma previsão de quantidade de pesquisa, de custo que você vai ter, grupos de anúncios que você deve montar. 

Gráficos de Tendência de Volume de Pesquisa 

O segundo passo que eu quero analisar com você é a parte dos gráficos. Eles ficam ativos, se eu não me engano, para quem está anunciando no Google. Quem não está, é provável que não apareça ainda.

No box dos gráficos nós temos um menu com 3 coisas importantes analisar. O primeiro é a “tendência do volume de pesquisa”, que é o gráfico que mostra a quantidade de pesquisas mensais para as palavras que você adicionou. Há um ponto ainda mais importante aqui. A gente consegue notar do total de pesquisa que temos, qual é a quantidade feita pelo smartphone. Por que o Google está mostrando isso? Porque em alguns casos, o smartphone vence o próprio desktop. Ou seja, as pessoas estão pesquisando mais no celular do que no computador. 

E isso é um aviso: Opa! Será que meu site está realmente adaptado para celular? Ele está muito bem otimizado para celular? É que, às vezes, você faz um site muito bonito para computador e para celular é uma porcaria, e não vai gerar o resultado. Nesse caso aqui, para as palavras que eu coloquei, a maioria das pesquisas é feita pelo Desktop, mas mesmo assim, eu não posso desconsiderar o celular, porque tem muita gente pesquisando por ele.

Um outro ponto importante é o volume de pesquisas. Por exemplo, no meu gráfico, ele aponta que em dezembro tem uma queda. E janeiro é o melhor mês de pesquisa. De modo geral, no primeiro trimestre vai bem, depois dá uma leve queda. Em agosto sobe um pouco e vai baixar um pouquinho em dezembro. O que significa isso? Que é necessário ficar atento aos períodos muito importantes para você aproveitá-los. Talvez seja o momento ideal para lançar um produto, intensificar o seu investimento. Nesse caso, para mim, é o primeiro trimestre do ano. E, geralmente, esse resultado se mantém, então aí temos uma “previsão” para o próximo ano.

Claro, que também é importante ficar atento aos períodos de possíveis quedas. Porque, às vezes, a resposta para um resultado não tão bom pode não estar em uma alteração que você fez ou algo diferente que foi aplicado. E sim no volume menor de pesquisa naquele período. Por exemplo, para mim, dezembro, e realmente isso é fato no meu nicho, é um período mais difícil de vender. Talvez, porque as pessoas estão mais preocupadas em comprar presentes, viajar, férias, ao invés de estudar marketing digital. Então, nesse caso aqui, você tem duas opções. Se preparar para o mês seguinte, onde tem um volume melhor de pesquisas. Ou até preparar algumas ações para puxar as poucas pesquisas que tem, compensar. E aí, de novo, você pode fazer uma promoção, criar um novo produto, fazer algumas coisas diferentes nesses períodos que estão em baixa para que você tenha ainda tração na sua empresa.

O segundo do menu dos gráficos é o “Dividir por Plataformas”. Aqui o Google mostra, realmente, em porcentagens, a quantidade de pesquisa pelo computador, tablet e smartphone. Essa sessão possibilita uma rápida análise. No meu caso, é possível concluir que quase 30% das minhas pesquisas são feitas só pelo celular. Em alguns casos, chega a 80% o celular. Você tem que ficar atento se o seu site está realmente adaptado para receber visitas para o dispositivo, se está muito bem otimizado.

A gente fala que quando o celular é maior que o computador, ao criar um site, você tem que focar em mobile first. O que é mobile first? É você, na hora de criar um site, primeiro criar para o celular e depois expandir para o computador. E não ao contrário, como muitas empresas fazem.

E no final desse menu, nós temos a opção “Dividir por locais”. Que te dá uma visão geral de quantidade de clientes por regiões. Isso pode até lhe ajudar a ter uma noção de informações que tornará a sua segmentação melhor. Na minha conta, por exemplo, quase 40% das pesquisas são feitas em São Paulo. 10% no Rio de Janeiro, cerca de 9% em Minas Gerais e assim por diante. É possível também ver por cidades. 

Então, na verdade, o que a gente está vendo aqui são algumas informações, dessas palavras, que são relevantes para gente, o que possibilita que tomemos algumas ações baseadas nelas. 

Lista de Palavras-Chave – Ideias

Na página, logo abaixo dos gráficos, você verá uma lista de palavras-chave com várias ideias. Eu coloquei na minha conta o filtro “Palavra-chave por relevância”. Então, nas primeiras linhas vão aparecer as palavras que eu coloquei e em seguida as palavras que as pessoas pesquisam no Google e que fazem relação. Por exemplo, “como anunciar no Google” aparece na minha lista. É uma palavra muito forte. Se você colocar o mouse em cima da “média de pesquisa mensais” ao lado da palavra na tabela, ele mostra a quantidade de pesquisas mensais. É possível avaliar melhores períodos, possíveis momentos de quedas e extrair outras informações relevantes.

Na minha lista surgiram 790 ideias. O certo é olhar uma por uma, adicionar aquelas que são relevantes e já negativar as que não são relevantes. As palavras que não são importantes para você devem ser negativadas. Porque você já começa uma campanha otimizada, que gera resultado desde o início.

Nessa lista, você vai ver as palavras, mas também outros dados. Como a “média de pesquisas mensais”. Você pode filtrar de modo decrescente, ou seja, as maiores no topo. Quando eu fiz isso aqui na minha conta, apareceu, por exemplo, a palavra Google Adsense, que nada tem a ver com a parte de anunciar no Google, então posso negativar a palavra Adsense. Em seguida apareceram palavras como: Google Adwords, Adwords, marketing digital e assim por diante. Então, você consegue ter uma outra ideia aqui, mas não baseado na relevância a essas palavras que você pesquisou, mas sim na quantidade de pesquisas.

Principalmente nessa parte, de média de pesquisas mensais, é onde você vai encontrar mais palavras negativas. E se você não excluir, o seu anúncio vai aparecer para pessoas que digitarem essas palavras e você vai perder muito dinheiro. Se eu não negativasse a palavra Adsense aconteceria comigo. Por isso, é importante você clicar na média de pesquisas mensais, encontrar as palavras ruins, que tem muito volume, e excluir essas palavras.

Um outro ponto importante é a parte da “concorrência”, ou seja, é a métrica que lhe diz se a palavra tem muitos anunciantes disputando no leilão ou não. A gente tem o status de “alta”, “média” e “baixa”. Então, o alta indica uma concorrência alta, como ela já se auto explica e as outras duas seguem a mesma lógica. Média e baixa concorrência.

Tiago, o que isso significa? Que alta é bom e ruim ao mesmo tempo. Ele é ruim, porque tem muita gente disputando por essa palavra. Mas bom, porque essa disputa significa que vende, que a palavra gera resultado. Afinal, ninguém anuncia se não gera conversão.

Então, se essa palavra tem uma concorrência alta, é preciso ficar atento a ela e adicioná-la, caso ela seja relevante para você. Porque é uma palavra boa, que traz performance.

Em um outro quadrante da tabela, você vai perceber, mais ou menos ligado à concorrência, os dados do lance na parte superior da página. Ou seja, os menores valores para você se manter nas primeiras posições, não lá na parte debaixo. Então, por exemplo, eu preciso pagar, em média, R$13,65 por “anunciar no Google”, uma palavra bem cara, para manter nas primeiras posições. Mas, se tem gente pagando isso é porque gera resultado.

Não é interessante você ficar atento só ao custo por clique. E sim ao custo por aquisição, o CPA, o resultado. Por exemplo: “Opa! Eu estou pagando R$13 reais por clique, mas a cada dois cliques, eu estou fazendo uma venda”. Agora, a outra palavra custa R$4 reais. É bem melhor? Não necessariamente. Eu posso estar gerando 20 cliques e nenhuma venda ou apenas uma. Ou seja, meu CPA está mais caro.

Então, olha para o resultado. Não fique olhando para o custo por clique apenas. Ele é uma métrica, mas não a principal.

A concorrência baixa, geralmente, traz palavras, em média, um pouco mais baratas. Mas porque não é tão disputada. Talvez, muita gente anunciou para essa palavra e ela não gerou resultado. Você pode testar, inclusive porque tende a pagar menos por ela, mas já saiba que talvez ela não vá gerar a performance que você gostaria na campanha.

Olhe, antes de você adicionar, se a palavra é alta, média ou baixa. Geralmente, as altas vão te ajudar bastante no resultado. Agora, se você encontrar uma palavra baixa, pagando muito pouco e que gere resultado, melhor ainda.

Ao lado dessa coluna, nós temos outra, que é “Lance na parte superior da página (Maiores Valores). Eu não digo que é 100%, mas talvez os dados deem algumas ideias. Eu mesmo já vi uma diferença muito grande dos valores apresentados na ferramenta em relação a realidade. Então, não leve isso como regra para você tomar uma decisão. O melhor é você inserir e testar por alguns dias. A questão aqui é você manter o maior lance. Por exemplo, a galera está dando R$500 reais por essa palavra para aparecer na primeira posição, nas melhores posições. Ou seja, quanto mais caras, nessa coluna, significam que são palavras realmente relevantes e muito boas.

Na última coluna, temos “Status da Conta”. Que mostra se a palavra já está adicionada a sua conta ou não. Então, você consegue ver de maneira clara, por exemplo, uma palavra boa que ainda não está adicionada. Quando você seleciona as palavras que quer adicionar é possível, através da barra horizontal superior, “adicionar ao plano” aqui eu não faço isso geralmente, porque serve para ver previsão e tudo mais. Então, a gente pode adicionar direto no grupo de anúncio ou ainda criar um grupo de anúncio.

O que eu faço aqui, geralmente, é pegar essas palavras, colocar no bloco de notas, vou olhando e depois subo na campanha. Eu acho mais interessante fazer dessa maneira.

No canto superior direito, você poderá visualizar o ícone “colunas”, onde é possível modificar ou adicionar colunas. Dentre as opções, você vai encontrar “Concorrência (valor indexado)”, “Parcela de Impressões Orgânicas”, “Posição Média Orgânica”. Eu não as utilizo, porque não enxergo, para o meu caso, nenhuma informação relevante.

Qual a Principal Função do Planejador de Palavras-Chave do Google?

É lhe dar uma visão geral sobre a sua segmentação na rede de pesquisa. Por exemplo, se, mais ou menos, a concorrência está alta ou baixa. Quais são as palavras que não estavam no meu radar e que eu preciso adicionar. Quais são as palavras negativas que não estavam no meu radar. Se as pesquisas são mais mobile ou se são mais desktop.

Então, ele lhe dá muitas informações para que você comece uma campanha da melhor maneira possível. Para que você tenha resultado logo no início.

Por isso que é importante você ter essa análise profunda das palavras-chave, saber sobre o “comportamento” de quem está pesquisando sobre o seu produto ou serviço na internet. 

Essa foi a visão geral. É uma ferramenta supersimples e prática que vai te ajudar muito. O que você tem que fazer agora é fuçar essa ferramenta. Inclusive, algo que não falei aqui ainda é que se você quer construir um conteúdo baseado em um determinado assunto, por exemplo, teclado, você verá no planejador várias palavras de como as pessoas pesquisam no Google. E aí aparece lá no Youtube também aqueles vídeos. Você pode usar isso aqui como um direcionamento para criar títulos para o seu vídeo no Youtube e temas para o seu canal. 

De modo geral, você pode planejar o seu marketing de conteúdo usando o planejador de palavras-chave do Google.

Por hoje é só. A gente se vê no próximo material!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Aprenda a anunciar no Google com Orçamento Baixo

Ebook + Aula Completa Inclusa. Baixe Agora. É Grátis.

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos e com prioridade

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Aprenda mais sobre Marketing Digital no Instagram Me siga →