Visão Geral Do Gerenciador De Públicos-Alvo Do Google

Gerenciador de públicos-alvo no Google. Você precisa dominar essa ferramenta. E é sobre isso que nós vamos falar aqui, nesse conteúdo. O gerenciador de públicos-alvo é onde você controla todos os seus públicos, onde você cria, pega informações, públicos semelhantes, de remarketing, do Youtube. Enfim, lá você controla tudo para depois, na hora de anunciar, criar campanhas a partir desses públicos. Então, se você tem um conhecimento não tão profundo sobre essa ferramenta, é sobre isso que eu quero lhe falar nesse material. Vai te ajudar bastante a ampliar a visão sobre esse tema que é importantíssimo. Afinal, o público é onde você vai focar seus anúncios e consequentemente o que vai gerar o seu resultado.

Como Acessar o Gerenciador de Públicos-Alvo do Google?

Para encontrar o recurso, você vai entrar na sua conta de Google, vai até “Ferramentas” e em seguida clicar na opção “Gerenciador de Públicos-Alvo”. É aqui que você faz o controle dos seus públicos como um todo.

No menu lateral esquerdo na sua tela, a gente tem “Listas de público-alvo”, que é onde estão as listas de todos os públicos que você criou. O segundo é “Informações do Público-alvo”. Aqui, na verdade, é onde a gente vai retirar as ideias de públicos. Onde o Google vai falar algumas informações para ajudar você a entender mais o seu público. Então, a partir de um público você vai ter ideias para criar o seu. Em terceiro, nós temos “Origens de Público-alvo”. Que já fala por si só. Basicamente, é de onde está vindo as informações, a fonte.

Vamos analisar cada uma delas para a gente entender profundamente. 

Origens de Público-alvo

Origens. O que é? É de onde o Google está puxando essas informações e quantas listas você criou a partir delas.

A ferramenta lhe mostra todas as fontes que é possível ter. Geralmente, o primeiro é a tag de Google Ads. Que nada mais é que a fonte da tag que você instala no seu site e aí o Google começa a puxar todas as informações do seu site, de quem entra e tudo mais. No bloco da fonte em específico, também é informado se há problemas ou não.

O Youtube é uma outra fonte de informação de público-alvo. Na minha conta, por exemplo, eu estou puxando do meu próprio canal. Então, eu vinculo meu canal do Youtube com a minha conta de Google.

Aí nós temos o Google Analytics, que é o seu Analytics padrão. Onde você coloca um código para puxar todas as informações dessa parte do seu site. Visitantes, quanto tempo eles ficam no site, páginas que eles visitam. Então, você consegue vincular o Google Analytics com o Google Ads para também puxar informações. E a partir do Google Analytics, você também consegue criar públicos específicos, ou seja, que só podem ser criados no Analytics, para subir no Google.

Aqui, na conta que estou utilizando para trabalhar esse conteúdo, têm duas fontes que não estou usando, porque eu não trabalho com aplicativos. Que são análise de aplicativos e Google Play. Você também pode colocar de terceiros aqui, como a Apple Store. E aí, você vincula o seu aplicativo para puxar informações dessa fonte, por exemplo, quem entrou no seu app, gerou engajamento, entre outros. É aqui onde você vai pegar as informações. 

Tiago, eu não tenho canal no Youtube! Beleza, você vai pegar a tag do Google. Na verdade, a tag do Google e do Analytics é o que você precisa ter sempre. Se tem um canal no Youtube, vincule-o. Como eu fiz no meu, porque é muito importante, afinal são muitos públicos relevantes que vêm de lá, como os inscritos do seu canal, quem assistiu um vídeo, uma playlist específica, curtiu seu vídeo, comentou e etc. Então, você pode criar muitos públicos a partir do seu Youtube. E se você tem aplicativo, é a mesma coisa.

Informações do Público-alvo

O que são as informações do público-alvo? Se você clicar nessa opção do menu e depois selecionar “Público-alvo sobre o qual você quer receber insight”, poderá escolher qualquer público ao qual queira analisar.

Por exemplo, eu quero analisar pessoas que assistiram uma aula no Youtube. Se forem poucas as visualizações, vai aparecer que não há informações relevantes suficientes ainda. Mas quando já tem bastante visitas, você consegue analisar. Então, eu vou lá e seleciono um público, podendo ser usuários do site, lista de clientes, que é subir lista de e-mail, visitantes do website e etc. O que acontece? Quando você seleciona, o Google vai trazer informações sobre esse público-alvo.

E aí, a partir disso, você consegue ter uma noção de quem é o seu público e enfim é possível criar toda uma estratégia de marketing baseada nisso. Por exemplo, meu público é mais jovem ou mais velho. É mais masculino ou feminino. Ou seja, ideias que você pode ter a partir disso e também depois é possível incluir essas segmentações nas suas campanhas.

É possível escolher analisar todos os conversores, que são as pessoas que converteram no meu site, ativaram a tag de conversão, fizeram alguma ação desejada. Compraram meu produto ou se tornaram leads. Nesse caso, então, eu estou pegando pessoas ultra qualificadas, porque aquilo era realmente uma ação maior e aí puxo informações dessas pessoas.

Na minha conta, por exemplo, escolhendo essa opção de analisar todos os conversores e comparando com Brasil, no geral, eu tenho muito mais público masculino do que feminino. Então, a maioria que entra no meu site, que converte, é masculino. A idade é de 25-44 anos, sem filhos.

Você também pode escolher fazer comparativos com a Rede de Display do Google, por exemplo, mas geralmente escolhemos comparar com o “Brasil”.

Logo abaixo, na página, você vai ver o “Públicos-Alvo no Mercado”. Então, do meu público que entrou e converteu, eu consigo ter algumas informações. Por exemplo, são pessoas que estão buscando ativamente na internet sobre serviços de SEO e SEM (Tráfego pago). Segundo o Google, na minha conta, as pessoas em “Todos os conversores” estão 11,7 vezes mais propensas a estar no mercado de serviços de SEO e SEM em comparação à população geral. No gráfico que acompanha os dados, o cinza representa o Brasil e o Azul o seu público. Nesse ponto, o meu público é 36,1%, enquanto o geral-Brasil é 3,1%. Ou seja, é muita coisa.

Você vai encontrar público-alvo no mercado ao qual não estava atento. O que você pode fazer com isso? Bom, se eu selecionar um público, posso adicionar à um grupo de anúncios, a uma campanha e assim começar a escalar, anunciando para essas pessoas.

Por que isso faz sentido? Se o meu público-alvo, que entrou na lista de conversões, é parecido com o que está no mercado, se eu criar uma campanha com esse “novo público”, vou atingir mais pessoas que vão converter. Vai trazer mais conversões em volume e também com um custo de conversão mais baixo. Porque historicamente aqui, a gente vê que o meu público faz parte desse público alvo de interesse.

Nós temos também o “Público-Alvo de Afinidade”, que é um pouco mais amplo. Por exemplo, eles são viajantes a negócios, pessoas que jantam fora regularmente. São algumas informações que eu, particularmente, não uso com tanta frequência. Eu uso mais públicos-alvo no mercado, porque são pessoas que já buscam sobre isso, já compram isso, então é um público mais relevante. Mas, se você quer ampliar ainda mais as suas campanhas, aí você pode puxar o de afinidade e faz a mesma coisa. Seleciona e adiciona lá em um grupo de anúncios da rede de display.

Acima, ainda em “Distribuições de Público-Alvo”, você também pode pegar informações sobre locais. É possível definir por país, cidades, por exemplo, no meu público, é possível observar que a maioria é de São Paulo, seguida de Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Ainda há a opção “Dispositivos”, que lhe mostra informações sobre se o seu público se conecta mais pelo celular, computadores ou tablets. Nesse caso, o meu público usa bastante computador. Mas isso é porque ele é formado por agências, empresários, pessoas que trabalham com internet em maior frequência. Então, comparado com o público geral do Brasil, onde a maioria usa celular, o meu é muito maior na utilização de computadores. 

É importante observar isso, porque se, por exemplo, a maioria do seu público, que converte, entra pelo celular, é essencial que você analise se o seu site está realmente bom para o celular, se ele atende bem quem está navegando por esse dispositivo. Essas informações servem para que você fique atento e construa seus projetos na internet baseados nelas e não só no seu achismo.

Então, as informações de público-alvo servem para isso. Para você ter uma visão geral do seu público específico, receber alguns insights e ter a possibilidade de criar algumas segmentações novas baseado nessas informações. Simples assim!

Listas de Público-alvo

É em “Listas de Público” que você vai construir, criar uma lista para depois anunciar para ela. Simples assim. Então, o que nós vamos fazer?

O primeiro passo para você criar é clicar no símbolo de “+”. Você pode criar um público de remarketing, ou seja, constituído por pessoas que já tiveram algum contato com você. Por exemplo, se a pessoa assistiu um vídeo meu no Youtube, eu posso anunciar para ela novamente. Se ela entrou no meu site, eu posso anunciar para ela novamente. Isso são campanhas de remarketing. 

Essas campanhas se tornam muito eficientes, porque você foca em poucas pessoas e consegue converter com um custo bem menor.

Então, você pode escolher entre fontes. Visitantes do website, usuários do aplicativo, usuários do Youtube, lista de clientes e combinação personalizada. Por exemplo, os visitantes do website são pessoas que entraram no seu site e a partir daí você consegue criar um público.

Como é que eu faço isso? Simplesmente eu clico em “visitantes do website” e vai puxar uma “janelinha”, onde vou construir o meu primeiro público. Então, primeiro vou dar um nome para o público. Por exemplo, eu quero pessoas que entraram no meu site, em uma página específica. Por isso, vou colocar assim: “Visitantes do Blog”.

Em membros da lista, você selecionará quem vai fazer parte dessa lista. E aí você pode escolher entre: “Visitantes de uma página”, “Visitantes de uma página que também acessaram outra página”, “Visitantes de uma página que não acessaram outra página”, “Visitantes de uma página durante datas específicas” e “Visitantes de uma página com tags específicas”.

Eu vou escolher por aqui a primeira opção, “Visitantes de uma página”, que é a mais utilizada e a mais simples.

Em “Página Visitada” você pode ver mais algumas informações e restringir um pouco mais, por exemplo, se será correspondente a qualquer grupo de regras ou a todos os grupos de regras. Aqui, vou deixar como “correspondente a qualquer grupo de regras”, então abaixo vai ficar: URL/Contém/Blog. Porque todo mundo que entrou na palavra blog vai formar esse público. Você não precisa colocar a URL toda, por exemplo, tiagotessmann.com.br/blog, basta colocar só a palavra principal, no caso, blog. Porque a URL contém a palavra.

Nós temos também algumas outras opções, por exemplo, eu quero a URL igual a. Nesse caso, você precisa colocar a URL exata: tiagotessmann.com.br/blog. Você pode escolher, mas eu sempre coloco o “contém” e a palavra.

Logo abaixo, no próximo bloco, você pode escolher se quer que a lista comece do zero ou incluir as pessoas dos últimos 30 dias. Eu escolhi a segunda opção. 

Em duração de associação, o que acontece? Por exemplo, o usuário entra na sua lista, fica por lá um tempo e sai automaticamente. E você define por quanto tempo ele vai ficar nesse público, justamente nessas configurações de duração de associação. Pode ser 7 dias, 14 dias, 30 dias e até 540 dias. Eu vou colocar 30 dias. Ou seja, a partir do trigésimo terceiro dia, a pessoa não participa mais do meu público. O meu público vai se renovando automaticamente e isso é bem interessante por não ter que ficar criando público com tanta frequência.

Abaixo você pode colocar uma descrição, porque depois, na parte de organização, fica muito mais fácil. A minha ficou assim: Pessoas que entraram no meu blog nos últimos 30 dias.

Agora, é só clicar em “Criar Público-Alvo”. Ao criar público-alvo, ele já vai aparecer na sua lista de públicos. No meu, aparece que ele não está sendo usado, ou seja, esse público não está em nenhuma campanha nesse exato momento. Se eu estou anunciando, aparece “em uso”.

Vou criar agora uma campanha de Youtube. Funciona da mesma forma. Você vai criar um nome e abaixo escolher o canal. Em “Membros da Lista” é onde vamos escolher a segmentação. Por exemplo, quero pessoas que “Visualizaram Determinados Vídeos”. Ao fazer isso, serão carregados os vídeos do canal em uma lista. Então você vai escolher. Ou seja, eu quero pessoas que assistiram o vídeo A, B e C. Após isso, você salva e cria da mesma maneira.

Dentro desse tipo de campanha, você pode escolher criar públicos a partir de quem curtiu ou se inscreveu no seu canal nos últimos 30 dias, por exemplo, e assim anunciar para eles.

A gente tem aqui também a parte de públicos semelhantes. Você vai ver na sua lista uma categoria chamada “Tipo”, ela se refere aos tipos de públicos. Afinal, para cada público que você cria, o próprio Google já cria um público semelhante. Se você for em “Filtrar”, é possível listar só os públicos semelhantes.

Ou seja, para cada público que você cria, o Google o estuda e cria um semelhante, isso quer de dizer, de pessoas parecidas com o que você determinou. Isso também funciona bastante no Facebook. Só que na rede social ele, geralmente, é mais eficaz. Mas, você pode testar no Google.

Você pode filtrar por “visitantes do website”, então todos que criei por regra, como acabei de criar. Também por “usuários do Youtube”, então todos os meus públicos de usuários do Youtube. Além de outros filtros.

Essa é basicamente a parte de criação. Eu recomendo, mesmo que você não for anunciar no momento, que já crie vários e vários públicos, porque dessa maneira vai sempre entrando pessoas no seu público. E quando você for anunciar, é só ir lá e criar essa campanha.

E, por último, a gente tem o “Públicos-Alvo Personalizados”. Que é você criar um público baseado em informações de terceiros. Nos outros que vimos até aqui estamos utilizando informação própria, pegando origem dos públicos. E aqui não, são informações de terceiros.

Então, como é que eu faço isso? Se você clicar no sinal de “+”, vai ver a opção “afinidade personalizada”, que são pessoas mais amplas, vamos chamar assim. O Google pega algumas informações e tenta puxar o que combina mais com aquele público.

E você pode definir seu público por interesses, URLs, lugares ou aplicativos relevantes. O que eu mais gosto de usar é a URL. Você simplesmente coloca a URL na linha de preenchimento, podendo ser do seu concorrente ou de pessoas que vendem um produto parecido com o seu, e clica em obter estimativa. Assim, o Google traz informações de pessoas que entram nesse site.

Você pode filtrar a estimativa de público por localização, em todos os países ou só Brasil, por exemplo. E também por idioma.

Dessa forma o Google consegue mostrar a quantidade de impressões semanais para pessoas parecidas com as que entram no site que você está analisando. Além de lhe mostrar os principais tópicos de interesse-interação das pessoas que entram nesse site. Eu recomendo que ao utilizar esse recurso, você coloque ao menos 5 URLS, ou interesses, enfim. Porque assim vêm mais informações relevantes sobre esses públicos e aí você consegue criar campanhas com tópicos de sites. Ou seja, sites relevantes, canais relevantes, que seu anúncio vai sair e, provavelmente, vai trazer uma conversão muito boa para você. Por causa dessa parte de comparação do público de quem entra, realmente, nessa URL.

Ainda nesse recurso, nós temos informações demográficas que também traz alguns insights. Como, por exemplo, deixar evidente se o público que entra nesse site é mais masculino ou feminino. Enfim, informações para você utilizar ao seu favor.

Ao criar esse público, ele aparecerá na sua lista e você consegue adicioná-lo à grupos para anunciar para ele, sem nenhum segredo. Simples assim.

Esse conteúdo já está ficando bastante longo. Mas essa aqui foi uma visão geral sobre essa ferramenta que você precisa dominar. Porque é dela que sai a fonte dos seus públicos, que você vai anunciar e vender através do Google.

Espero que essa visão geral tenha ajudado você. Nos vemos no próximo conteúdo. Até lá!

Tchau-tchau.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Aprenda a anunciar no Google com Orçamento Baixo

Ebook + Aula Completa Inclusa. Baixe Agora. É Grátis.

JUNTE-SE A MAIS DE 50.000 PESSOAS

Entre para nossa lista e receba
conteúdos exclusivos e com prioridade

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

Aprenda mais sobre Marketing Digital no Instagram Me siga →